Carne: O maior superalimento da natureza

PARTILHAR
carne de wagyu
Foto: Divulgação

A carne não faz mal, nem o ovo. A carne é um superalimento já que contém todos os 9 aminoácidos, sendo uma proteína completa e de fácil absorção

Todas essas afirmações são do médico e influenciador Doutor Barakat, autor dos livros “Pilares para uma vida saudável” e “Ressignificando sua vida“. O especialista em nutrição publicou em suas redes sociais, onde detém milhões de fãs, uma texto falando sobre a importância da carne na alimentação saudável dos seres humanos. Confira os destaques.

Não se deixe enganar por documentários tendenciosos e sensacionalistas: A carne não faz mal, nem o ovo. A carne é um superalimento já que contém todos os 9 aminoácidos, sendo uma proteína completa e de fácil absorção (boa biodisponibilidade).

Como que produtos naturais consumidos há milênios podem fazer tão mal e produtos processados cheios de químicos inventados há poucos anos são tão santos e sadios (como hamburguer de soja e amido)?! Não parece estranho?

A carne não tem corante ou espessantes, tem vitaminas do complexo B (a B12, por exemplo, com grande biodisponibilidade só é encontrada em alimentos de origem animal e é fundamental para manter o nosso metabolismo),niacina que fornece energia celular, selênio que é um poderoso antioxidante, zinco que é fundamental para a imunidade, fenilalanina que ajuda na saúde mental, colina que é importante para a saúde do cérebro, músculos e fígado, fósforo e ferro heme, que o corpo absorve melhor do que o ferro não heme das plantas e ainda sacia mais rapidamente.

Infelizmente, alguns estudos funcionam quase como clickbaits no meio acadêmico. Chamando atenção por um título cheio de pompa, mas que na verdade é um estudo observacional enviesado.

A pesquisa observacional apenas sugere conexões, e geralmente as que seus autores pretendem. Depois disso, é preciso uma série de estudos aprofundados que não existem em relação à carne. E que quando existem apontam que não há NENHUMA ligação com qualquer tipo de câncer ou problemas cardiovasculares.

Mas, claro, só trago os dados, você acredita no que preferir!

E àqueles que não suportam o sofrimento animal e escolhem o veganismo como filosofia de vida, sugiro procurar ajuda médica/nutricional para supervisionar a correta e necessária suplementação, combinado?

Carne Fazenda Carioca
Foto: Carne Fazenda Carioca

5 benefícios da carne vermelha

A carne vermelha faz parte do cardápio diário do brasileiro e há quem diga que uma refeição sem ela fica comprometida. Por algum tempo, porém, foi atacada como vilãs da saúde, mas isso ficou para a história e diversos cientistas e pesquisadores já comprovaram os benefícios da carne vermelha que, além de tudo, é muito saborosa!

É bastante nutritiva

A carne vermelha é rica em diversos nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do organismo. Podemos citar principalmente minerais e vitaminas lipossolúveis, além de ferro, zinco e vitaminas B6 e B12. A carne vermelha também é rica em proteína de alto valor biológico, aquela que representa grande parte do peso do corpo humano.

Uma dieta com pouco equilíbrio desses nutrientes causa fadiga, anemia e dificuldade de cicatrização dos tecidos.

Fornece boa quantidade de proteínas

O componente principal da carne bovina é a proteína. A concentração de proteína magra varia em torno de 30% e é geralmente de alta qualidade, contendo todos os 8 aminoácidos essenciais para o crescimento e manutenção do nosso corpo.

Por isso, comer carne vermelha é muito indicado para quem passou por uma cirurgia e para os atletas em recuperação — ou em outros momentos e condições em que o tecido muscular está sendo reconstruído.

Melhora o desempenho muscular

A carne vermelha é fonte de alguns nutrientes que ajudam a melhorar o desempenho muscular, como a mioglunulina (responsável pelo transporte de oxigênio para os músculos), o ácido linoleico (nutriente importante para perder peso e promover a perda de gordura) e a creatina (que ajuda a restaurar ATP após o esforço muscular, uma molécula produzida durante a respiração celular, que dá energia ao corpo).

Ajuda a combater a depressão

Pouca gente sabe, mas a carne vermelha também é benéfica para a saúde mental. Ela é muito melhor que a carne de frango e de peixe no combate à depressão, devido à alta concentração de fenilalanina que apresenta. A fenilalanina ainda reduz o apetite, o que ajuda a emagrecer.

Ajuda a prevenir e tratar a diabete

A carne vermelha ajuda a manter a glicemia mais estável, por isso seu consumo diminui alterações de humor, compulsão alimentar e ajuda a combater a resistência à insulina. Por isso, é ótima na prevenção e no tratamento da diabete.

Previne a anemia

A anemia é uma doença caracterizada pela diminuição da quantidade de células vermelhas do sangue e a capacidade dele transportar oxigênio. Normalmente, ela é causada pela falta de ferro no organismo e seus principais sintomas são cansaço e fraqueza.

Um dos benefícios da carne vermelha é ser rica em ferro, principalmente quando está na forma de ferro heme. Encontrado apenas em alimentos de origem animal, o ferro heme é muito pouco encontrado nas dietas vegetarianas. E não é só isso: além de possuir forma altamente biodisponível de ferro, a carne também melhora a absorção de ferro não heme dos alimentos de origem vegetal.

O medo do colesterol pode ser um temor que ronda os amantes de um bom churrasco, mas não precisa ser assim. O fator decisivo é saber a quantidade ideal, pois até mesmo comer uma quantidade menor do que a indicada pode ser prejudicial, gerando perda de massa magra e enfraquecimento dos cabelos e unhas, além da má recuperação dos tecidos.

A quantidade ideal depende do tipo de corte. Por exemplo, um bife de filé mignon de 100 gramas possui cerca de 285 calorias, sendo mais calórico que um bife de patinho, alcatra ou lagarto. Cuidado com os excessos, mas não peque pela falta!

Adaptado do conteúdo do Dr Barakat

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com