China mira soja dos EUA e traz preocupação ao Brasil

China mira soja dos EUA e traz preocupação ao Brasil

PARTILHAR
soja no tocantins
Foto: João Di Pietro/Governo do Tocantins

China compra maiores volumes de soja dos EUA e demanda por grão brasileiro diminui; O redirecionamento da demanda chinesa levou a queda de preço interno do produto no Brasil.

A China voltou a demandar maiores volumes de soja dos Estados Unidos, cenário que evidencia um progresso na fase 1 do acordo comercial entre os países. Com isso, após mais de dois anos, os preços futuros de soja voltaram a operar acima dos US$ 10,00/bushel na CME Group (Bolsa de Chicago).

Além da maior demanda, a alta externa esteve atrelada também à menor produção nos Estados Unidos. Com o maior interesse pela soja dos EUA, a demanda externa pelo produto nacional diminuiu, pressionando os valores nos portos brasileiros, segundo informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Esalq/USP.

Em Paranaguá (PR), o indicador Esalq/BM&FBovespa caiu 0,26% na parcial de setembro, cotado a R$ 137,40 pela saca de 60 kg na sexta-feira (11/9). Quanto aos embarques, conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), o Brasil escoou, em agosto, o menor volume de soja e derivados desde fevereiro deste ano.

Do grão, foram exportadas 6,23 milhões de toneladas, de farelo, 1,49 milhão de toneladas e de óleo de soja, 68,55 mil toneladas.

Fonte: CEPEA

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.