China quer 100 milhões de t de soja, quase “um Brasil”

PARTILHAR
Foto: Divulgação

O volume projetado da compra chinesa é equivalente a quase toda a safra brasileira na temporada atual (2021/2022), estimada em 122,76 milhões de toneladas do grão. Veja!

As importações de soja pela China devem alcançar o recorde de 100 milhões de toneladas na temporada 2022/23, estimou nesta quinta-feira (17/3) o Serviço Agrícola Estrangeiro (FAS, na sigla em inglês) do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) em Pequim. O volume projetado é equivalente a quase toda a safra brasileira na temporada atual (2021/2022), estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 122,76 milhões de toneladas do grão.

Além de ser a maior compradora de soja do mundo, a China tem uma demanda de quase “um Brasil de soja”. A expressão parece ser absurda, mas não é. O Brasil produziu, em 2021, 137 milhões de toneladas de soja no ano, volume esse que daria para suprir quase que apenas a demanda chinesa.

“A crescente demanda por ração, juntamente com disponibilidade limitada e preços mais altos para substitutos ricos em proteínas, deve aumentar as importações de soja da China para uma previsão recorde”, disse o adido do USDA em relatório.

A China é o maior comprador global de soja, que tem Brasil, Estados Unidos e Argentina como principais produtores e exportadores mundiais do grão e de seus subprodutos, como óleo e farelo. Em 2021, apenas de soja brasileira, os chineses compraram 60,47 milhões de toneladas, de acordo com dados do Ministério da Agricultura. As exportações totais do grão pelo Brasil no ano passado foram de 86,1 milhões de toneladas.

No dois primeiros meses deste ano, 6,2 milhões de toneladas de soja do Brasil foram embarcados para a China, de um total de 8,7 milhões de toneladas em vendas externas entre janeiro e fevereiro, também conforme o sistema Agrostat, do Ministério da Agricultura.

As compras chinesas de soja para 2021/22, por outro lado, foram reduzidos para 95 milhões de toneladas, pelo representante do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Além da demanda mais fraca nos setores de suínos e aves, o país tem planos de leiloar reservas estatais.

“A produção de oleaginosas está prevista para aumentar levemente para 62,4 milhões de toneladas na temporada de 22/23 com altos preços domésticos e incentivos governamentais”, completou.

Foto: Divulgação

Exportações de soja, relatório mensal

Com uma média de 600,79 toneladas de soja embarcadas diariamente, as exportações da oleaginosa superaram 3,0 milhões de toneladas na última semana, média 8,75% maior que na primeira metade do mês. Até o momento, em mar/22 foram enviadas para fora do país 7,42 milhões de toneladas da commodity, volume 2,56% inferior ao registrado no mesmo período no ano passado.

O preço médio mensal da tonelada subiu para US$ 522,15, valorização semanal de 1,86%. Com isso, as vendas externas de soja nos 13 primeiros dias úteis do mês corrente consolidaram uma receita de US$ 3,88 bilhões, montante equivalente a 76,82% do total de mar/21, quando a tonelada tinha o preço 23,87% menor.

Aumento de área

Além das importações em níveis elevados, a China planeja aumentar sua área plantada com soja. A China espera aumentar sua área plantada de soja este ano e liberou óleo de soja e soja de suas reservas em um esforço para aumentar a oferta do mercado, informou a rádio estatal na hoje (17).

A área plantada de soja do país deve aumentar em mais de 20 milhões de mu (1,3 milhão de hectares) em 2022 com base em estimativas preliminares, informou a rádio estatal, citando Wang Liaowei, economista sênior do Centro Nacional de Informações sobre Grãos e Óleos da China.

Wang também disse que a China, o maior comprador de soja do mundo, vendeu 186.000 toneladas de óleo de soja importado e 256.000 toneladas de soja importada de suas reservas entre o final de fevereiro e 14 de março para aumentar a oferta do mercado.

A China disse na semana passada que liberaria 295.596 toneladas de soja importada de suas reservas para aliviar a oferta apertada da oleaginosa. No mês passado, o vice-primeiro-ministro da China também pediu que a China expandisse a produção de soja e estabilizasse a área plantada de grãos, sem fornecer detalhes.

Na semana passada, o governo do país informou que liberaria 295.596 toneladas de soja importada de suas reservas para aliviar a oferta apertada da oleaginosa. 

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.