Colheita atrasada atrasa plantio do milho, e agora?

Colheita atrasada atrasa plantio do milho, e agora?

PARTILHAR
colheita da soja
Foto: Divulgação

Lentidão na colheita de soja atrasa cada vez mais plantio de milho safrinha e algodão; Segundo os dados ela segue apenas a 4% da área.

Novo balanço sobre a safra de grãos divulgado nesta segunda-feira (8/2) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra que a lentidão na colheita de soja persiste e atrasa cada vez mais o plantio de milho safrinha e algodão no Brasil.

Segundo o boletim, a colheita da soja chegou a 3,6% até a última sexta-feira (5/2) nos 12 principais Estados produtores. Na mesma época do ano passado, 17,6% já obtido sido colhidos.

O maior atraso é no Mato Grosso. Enquanto em 2020 metade da safra foi colhida, neste ano os trabalhos chegam a apenas 8,9%. No Mato Grosso do Sul, a colheita está em 0,5%, contra 6% no mesmo período do ano passado.

Em Goiás, apenas 2% foram colhidos, enquanto no ano anterior já eram 12,5%. No Sul, destaque para o Paraná, que ainda não iniciou a colheita – no mesmo período do ano passado, os trabalhos já estavam em 4%.

Enquanto a colheita do milho primeira safra está acelerada e já chega a 12% nos nove maiores Estados produtores – era 8,1% no mesmo período do ano passado -, o plantio da safrinha permanece em atraso.

Só 4,1% da área foi semeada contra 22,5% em igual época de 2020. A maior lentidão é no Mato Grosso – 9% foram plantados contra 43,9% no ano anterior. A demora também causa lentidão na semeadura de algodão , que chegou a 66,6% nos sete maiores Estados produtores – o total era 96,9% em igual período do ano passado.

Quanto ao arroz , segundo a Conab, a colheita já soma 4,8% da área cultivada nos seis principais Estados produtores. O maior avanço é em Santa Catarina (38%) e Goiás (18,8%). Maior produtor, o Rio Grande do Sul não começado a colher até sexta-feira (5/2).

Fonte: Globo Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com