Colheitadeira pega fogo e prejuízo é de R$ 1,74 milhão

PARTILHAR
Foto Divulgação

O agricultor conseguiu pular da máquina após a explosão, o maquinário pegou fogo enquanto agricultor iniciava trabalhos da colheita; veja o vídeo!

O momento da colheita no Brasil é sempre um período de grande atenção, já que o tempo seco pode causar acidentes nos maquinários. Dessa vez, segundo as informações, uma colheitadeira ficou completamente destruída após pegar fogo enquanto ainda estava em uso pelo agricultor Valcir Strapasson. O agricultor conseguiu pular da máquina após a explosão, o maquinário pegou fogo enquanto agricultor iniciava trabalhos da colheita; veja o vídeo!

O produtor não se feriu, mas vai amargar um prejuízo de R$ 1,74 milhão, já que a máquina estava sem seguro. O caso aconteceu na última quinta (20), na fazenda Horizonte, localizada no município de Vera (MT). Veja como evitar o problema, agricultor mostra sistema criado por ele!

Strapasson conta que conseguiu saltar da colheitadeira, antes que uma tragédia maior acontecesse. “Foi igual a uma bomba atômica. A minha sorte é que consegui prever um pouco antes o que estava acontecendo. Comecei a sentir um cheiro diferente. Caiu óleo diesel na máquina e só deu tempo de abrir a porta e sair correndo”, revela.

Ainda segundo o produtor rural, a colheitadeira era o melhor maquinário de sua propriedade. “Das três máquinas que nós tínhamos aqui esta era a melhor. Mas o seguro estava vencido e agora vamos ter que arcar com o prejuízo”, diz.

Além do prejuízo com a máquina que não tinha seguro, parte da lavoura também foi destruída, isso irá causar uma grande queda no rendimento da safra do agricultor.  

Foi igual a uma bomba atômica. A minha sorte é que consegui prever um pouco antes o que estava acontecendo.

Strapasson

O agricultor que estava no início da colheita dos 1,2 mil hectares da sua propriedade ainda lembra que o caso vai afetar o seu planejamento. “Seria o momento de nos capitalizar para os próximos anos, mas agora, fazendo as contas, vai inviabilizar o plantio de soja e do milho, pois os custos subiram, e eu ainda tenho grãos avariados”, finaliza.

Colheitadeira pega fogo e prejuízo é de R$ 1,74 milhão, veja o vídeo:

Outro caso: Colheitadeira pega fogo em lavoura no interior de São Valério do Sul

Uma colheitadeira foi destruída por um incêndio na tarde de ontem, segunda-feira (17) no interior de São Valério do Sul. O sinistro iniciou por volta das 14h, no momento em que a máquina trabalhava em uma lavoura na localidade de Santa Terezinha.

De acordo com informações coletadas junto à prefeitura, a máquina teve perda total. Parte principalmente da resteva da lavoura de milho, recém-colhida, pegou fogo. A máquina fazia a colheita no momento em que incendiou, mas as chamas consumiram principalmente a parte já colhida. Ninguém se feriu.

Por meio da ação de funcionários da prefeitura e agricultores vizinhos o fogo foi controlado. A prefeitura enviou também diversas máquinas. A lavoura onde ocorreu o sinistro fica nas proximidades de um mato da Reserva Indígena Inhacorá, local onde ocorreu um incêndio na semana passada.

Máquina fazia a colheita no momento em que incendiou, mas as chamas consumiram principalmente a parte já colhida. (Foto: Ouvinte/Especial RAU)

Sistemas contra incêndio

É muito importante que a fazenda tenha um sistema, equipe e maquinários contra incêndio, inclusive um caminhão pipa para que possa conter o fogo com rapidez. Perder a máquina e principalmente a lavoura devem ser o pior cenário quando isso acontece.

Confira a solução que esse agricultor brasileiro encontrou para apagar as primeiras chamas que possam aparecer nas máquinas agrícolas. Ele instalou uma mangueira no pneu da colheitadeira para que em casos de incêndio possa utilizar a água que está represada dentro dos pneus. Isso auxiliará o operador até a chegada da brigada de incêndio.

Este também demonstra como funciona

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com