Commodities buscam ajustes de posição após intenso rally

Commodities buscam ajustes de posição após intenso rally

PARTILHAR

Cotações da soja e do milho recuam no mercado interno pressionadas por dólar e CBOT. Confira abaixo como fechou o mercado físico e futuro!

No mercado físico a queda de braço entre compradores e vendedores sustenta o preço do cereal acima de R$ 98,00/sc negociado na referência de Campinas/SP. Os contratos futuros do cereal na B3 registraram novo movimento de correção e ajuste com o contrato para maio/21 desvalorizando 2,7% no dia fechando o pregão em R$ 101,52/sc.

Em Chicago as cotações do cereal tiveram uma sessão marcada pela indefinição dos movimentos. Sustentado pela incerteza da produção brasileira de milho na 2ª safra, o contrato para julho/21 fechou o dia a US$ 6,48/bu, valorizando-se 0,66%, enquanto isso, o vencimento para setembro/21 recuou 0,17% ficando cotado a US$ 5,71/bu.

Boi Gordo

Apesar do alongamento das escalas, os preços arroba do boi gordo seguem acomodados na casa dos R$ 315,00/@ em São Paulo, pequenas variações para cima ou para baixo podem ser observadas em algumas negociações. Este fator demonstra que ainda não há oferta suficiente de animais para gerar maior pressão negativa nas indicações. Outro fator que se nota é que muitas plantas frigoríficas ainda se encontram fora de operação, o que pode gerar uma sensação de avanço maior do que a realidade.

Na B3, assim como no físico, dia de estabilidade. O contrato com vencimento em maio permaneceu cotado a R$ 306,20/@. Já o junho/21, avançou pontualmente 0,19%, fechando o dia negociado a R$ 311,00/@.

Soja

A retração da moeda norte-americana e desvalorização das cotações da oleaginosa em Chicago esfriou o mercado brasileiro e fez o preço da soja negociada em Paranaguá/PR recuar para abaixo dos R$180,00/sc na quinta-feira. A queda do prêmio também auxiliou nesta movimentação.

O movimento de ajuste de liquidação das posições compradas pressionou as cotações da oleaginosa em Chicago que fecharam o dia em desvalorização. O contrato para julho/21 recuou 0,76%, para US$ 15,02/bu.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com