Compradores tiram o pé das compras de milho no país

Compradores tiram o pé das compras de milho no país

PARTILHAR
supersafra de grãos
Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini

Mercado sem negócios. Compradores de cereal retiram ofertas da mesa e esperam redução nas pedidas para iniciar novas compras de milho.

Em mais um dia sem um grande volume de negócios, o preço do milho no mercado físico paulista recuou seguindo o caminho do dólar. A referência para negócios em São Paulo voltou a ser os R$ 80,00sc/sc, no entanto, o volume de negociações efetivadas continua muito baixo já que os compradores se mantêm distante. Na B3, o contrato para janeiro/21 caiu 0,15%, fechando a terça-feira nos R$ 80,46/sc.

O mercado de milho nos EUA se preparou para o feriado de ação de graças nesta terça-feira, o contrato para mar/21 variou negativamente 0,17%, sendo negociado nos US$ 4,33/bu. Além desta realização de lucros pré-feriado, a ausência de novas vendas externas também atuou para a leve desvalorização nas cotações do milho norte-americano.

Boi gordo

Terça-feira, 24, de movimento fraco e instável no mercado atacadista de carne bovina. As vendas seguem travadas, com a ponta compradora atenta ao escoamento no varejo que se mostra bastante fragilizado, principalmente nesta reta final do mês. Neste ambiente, a carcaça casada bovina segue balizada em R$ 18,00/kg. O que tem surpreendido é o melhor desempenho dos produtos de segunda, como dianteiro e a ponta, que são comercializados R$ 16,00/kg.

No mercado spot de boi gordo, o cenário é parecido. A pressão negativa continuando pairando, mas as cotações se mantêm estáveis entre R$ 280,00 a R$ 285,00/@.

Já na B3, o dia iniciou com tendência positiva, que se manteve até o final do pregão nos principais contratos futuros. O novembro/20, fechou o dia a R$ 282,50/@, avanço de 1,06% ante a véspera, alinhado com as negociações do físico. O dezembro/20, encerrou a R$ 276,60/@, alta de 1,36% na comparação diária.

Soja

Com os negócios se centrando na próxima safra, os preços do mercado físico continuam sem grandes alterações, com os poucos compradores do mercado interno alterando a cotação oferecida conforme a movimentação do dólar. E com a queda da divisa norte-americana nesta terça-feira, a referência para a soja brasileira no mercado físico bateu os R$ 164,00/sc.

Em Chicago, o contrato para janeiro/21 recuou 0,02%, ficando cotado em US$ 11,91/bu. Assim como no milho, a terça-feira foi de realização de lucros por parte dos operadores do mercado de soja. A preocupação do mercado segue com o desempenho da soja sul-americana que enfrenta um dos piores regimes pluviométricos dos últimos anos.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com