Confinamento, semiconfinamento ou TIP?

Confinamento, semiconfinamento ou TIP?

PARTILHAR
Boiada / Foto: Confinamento São Lucas

Afinal, hora de terminar os animais: Qual a diferenças entre confinamento, semiconfinamento e terminação intensiva a pasto, confira abaixo as dicas!

Utilizar a engorda intensiva na pecuária de corte tem se tornado uma técnica aliada do pecuarista para poder aumentar a sua taxa de desfrute e produtividade da propriedade. Diante disso, conheça a diferença entre confinamento, semiconfinamento ou TIP!

O que define os conceitos de semiconfinamento, confinamento e terminação intensiva a pasto, ou TIP? Quem conta é o especialista no assunto, ele vai tirar as principais dúvidas dos produtores, que estão relacionadas a nutrição, manejo de águataxa de lotaçãoestruturas, uso da genética do gado cruzadoresgate de bezerros ou novilhastipos de pastagensirrigaçãocustos e tempo de engorda.

“O semiconfinamento nada mais é que a terminação dos animais em sistema a pasto, então os animais permanecem a pasto, eles têm livre acesso ao pasto. Eles recebem uma suplementação com concentrado no cocho para obter o desempenho que a gente espera de um animal em terminação. Então o semiconfinamento tradicional que a gente fala é aquele sistema em que os animais a pasto recebem uma quantidade de concentrado equivalente a aproximadamente 1% do peso vivo. Vamos lá: um boi de 400 kg vai estar comendo 4 kg de concentrado por dia. Normalmente este concentrado é fornecido uma vez por dia quando é o semi tradicional, e 1% do peso vivo em ração”, disse o zootecnista formado na Universidade Federal de Viçosa, mestre, doutor e pós-doutor pela Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, Pedro Veiga, gerente global de tecnologia da Nutron, divisão de nutrição animal da Cargill.

“A terminação intensiva a pasto (TIP) já envolve um aumento na oferta de concentrado, então esta oferta de concentrado praticamente dobra, ela chega a 2% do peso vivo. Geralmente a gente trabalha com a taxa de lotação bem mais alta na terminação intensiva a pasto do que no semiconfinamento tradicional, porque à medida que o animal come mais ração, ele tem um efeito que a gente chama de substitutivo, ou seja, ele deixa de comer capim para comer mais ração. Então quando eu forneço 2% do peso vivo de um boi em ração, eu posso aumentar a quantidade de animais por área porque a demanda de pasto é bem menor. Ao passo que no semi tradicional, que é 1%, ele depende muito do pasto, então eu tenho que trabalhar com lotação mais baixa”, comparou Veiga.

“E o confinamento tradicional nada mais é do que fechar os animais num piquete, numa baia e fornecer 100% da dieta dele no cocho, ou seja, ele não tem escolha de pastar ou não. Ele vai comer o que ele precisa diretamente no cocho sem acesso o pasto, então resumidamente seriam estas as principais diferenças”, completou.

Compre Rural com informações do Giro do Boi

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com