Consumo de ovo no Brasil bateu recorde

PARTILHAR
Foto: Divulgação

ABPA afirma que alimento ocupa uma posição estratégica na segurança alimentar do país, e que consumo tende a continuar crescendo.

As projeções da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) apontam para novas marcas históricas já em 2021.  Conforme a entidade que representa a avicultura e a suinocultura do País, o consumo projetado para este ano deverá alcançar 255 unidades, com a produção anual superando 54,5 bilhões de unidades – ou o equivalente a 1.728 ovos por segundo.

Segundo Ricardo Santin, presidente da ABPA, e também é presidente do Conselho de Administração do Instituto Ovos Brasil (IOB), fortes campanhas de esclarecimentos e a versatilidade do ovo mudaram o quadro de consumo da proteína, que foi especialmente impulsionado nos últimos anos graças à condição vantajosa de acesso em relação à outras proteínas. 

“Os últimos dois anos foram marcantes para os produtores de ovos, que viram o Brasil superar a média global de consumo do ovo,  que é de 230 unidades anuais.  É o rompimento de um paradigma do produto, que sempre foi popular, mas que agora é, de fato, amplamente consumido no País”, avalia.

É neste contexto que as perspectivas de consumo de ovos deverão avançar para novos índices recordes.  A ABPA projeta que, no próximo ano, a média de consumo da proteína chegue às 262 unidades anuais.

“Temos enfrentado fortes altas de custos de produção e o cenário produtivo não é favorável do ponto de vista competitivo.  Mas o custo elevado de outras proteínas coloca o ovo em uma situação vantajosa, reforçado pela posição que a proteína assumiu na percepção do consumidor em relação à saudabilidade do produto.  O ovo não é só um produto versátil, popular e gourmet ao mesmo tempo.  Ele agora assumiu, definitivamente, uma posição estratégica para a segurança alimentar do país”, avalia Santin.

Fonte: ABPA

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR