Cooperativas agropecuárias impulsionam economia no Sul

Cooperativas agropecuárias impulsionam economia no Sul

PARTILHAR
Cooperativa anuncia investimento na ordem de R$ 2,4 bilhões
Foto: JONATHAN CAMPOS/AEN

Santa Catarina tornou-se paradigma nacional de eficiência e de cooperativismo; é o estado com maior taxa de adesão ao cooperativismo

A cadeia produtiva mais uma vez recebeu destaque em 2020, mesmo frente a um cenário incerto e atípico ocasionado pela pandemia de covid-19. Esse desempenho foi divulgado, recentemente, no balanço anual das cooperativas realizado pela Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC), que avalia a performance do modelo cooperativista catarinense em seus diferentes ramos. Os dados apresentam o patamar de desenvolvimento e contribuição econômica das mais de 250 cooperativas cadastradas no Sistema OCESC.

O ano que prometia ser de perdas e retrocesso no setor devido ao quadro da pandemia, contrariou as expectativas e surpreendeu com seus números positivos e melhores resultados se comparados a 2019. Com um quadro social de mais de 70 mil cooperados, juntas, as cooperativas do ramo agropecuário somaram um faturamento de R$ 34,4 bilhões. O expressivo cenário de exportações contribui, diretamente, para a receita positiva do setor.

“A expressão das cooperativas do ramo agro é reconhecida mundialmente. Esses números, provam a capacidade de inovação e adaptação das agroindústrias mesmo diante das adversidades. Muito se investiu em protocolos e melhorias sanitárias para garantir a segurança dos trabalhadores e associados na pandemia. Esse investimento foi, proporcionalmente, revertido nos lucros apontados pelo balanço”, opina o presidente da OCESC, Luiz Vicente Suzin.

Segundo o dirigente, os dados evidenciam a relevância das cooperativas agropecuárias na economia e na vida dos catarinenses. As estatísticas demonstram ainda o potencial resultado de uma atuação técnica e qualificada, que movimenta a economia de Santa Catarina com a promoção de emprego e renda.

Os números das Cooperativas agropecuárias de Santa Catarina

  • Total de cooperativas agropecuárias – 46
  • Movimento econômico – 69,2%
  • Cooperados – 73.539
  • Funcionários – 48.287
  • Faturamento – R$ 34,4 bilhões

Na verdade, Santa Catarina tornou-se paradigma nacional de eficiência e de cooperativismo. É a unidade da Federação brasileira com maior taxa de adesão ao cooperativismo. A vocação para a inovação e o empreendedorismo são as qualidades mais proeminentes do cooperativismo catarinense, ao lado da observância dos princípios universais do cooperativismo. As cooperativas foram pioneiras no desbravamento das regiões, na instalação de centros de produção e na transferência de tecnologia.

O cooperativismo catarinense tem tido a habilidade necessária para enfrentar as crises e manter a sustentabilidade dos negócios e a viabilidade dos diversos ecossistemas, clusters e cadeias produtivas. As cooperativas catarinenses cresceram 13,71% em 2019 (12 vezes mais que a economia brasileira) e obtiveram receita operacional bruta de 40,7 bilhões de reais. As 254 cooperativas catarinenses reúnem mais de 2,7 milhões de associados. A profissionalização dos quadros diretivos das cooperativas mediante frequentes investimentos do Sescoop, o emprego de modernos recursos gerenciais e a adoção de uma visão empresarial foram decisivos para o êxito das cooperativas. É previsível que, de modo crescente, as sociedades modernas adotarão o cooperativismo como modelo de organização econômica e social.

Entre as inovações que surgiram em cooperativas de praticamente todos os ramos estão plataformas para conectar os negócios locais. Na pandemia, enfim, as cooperativas estão reagindo e oferecendo uma contribuição que só o altruísmo e o trabalho podem sustentar.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.