COVID-19: Aumente sua saúde e imunidade comendo carne

COVID-19: Aumente sua saúde e imunidade comendo carne

PARTILHAR
Foto: Angus Steakhouse

“As doenças crônicas geralmente resultam, não de cuidados médicos inadequados, mas de uma dieta pouco saudável”, diz Don Lyman.

A pandemia do coronavírus mudou completamente o mundo, fala-se em um normal, e definitivamente abrimos uma nova década, e acho que todos podemos concordar que não tínhamos isso em mente em janeiro, quando começamos um novo ano. E entre as coletivas de imprensa, manchetes feias, mortes trágicas, perdas econômicas e outras repercussões tristes, físicas e financeiras de um lockdown global e um vírus novo, há um elefante na sala que precisa ser tratado.

Saúde pública.

Cada pessoa que você perguntar tem sua versão da melhor forma de reduzir a propagação desse vírus para nos manter seguros. Máscaras, distanciamento social, lavagem das mãos, higienização de superfícies, limitação do tamanho das multidões e a lista continua.

Mas há algo faltando em todos esses protocolos de segurança?

É flagrantemente óbvio e descaradamente ignorado.

Pelo que me lembro, em nenhuma entrevista coletiva que ouvi durante esta pandemia, os especialistas mencionaram o foco em nossa saúde e bem-estar. Fala-se muito sobre limitar a exposição a pessoas de “alto risco”, mas não se fala sobre como reduzir o risco e melhorar a resposta imunológica por meio de dieta, exercícios, descanso, água, suplementos ou outras práticas que aumentem a saúde.

Um artigo de opinião escrito pela Diretora Executiva da Nutrition Coalition, Nina Teicholz, já disse: “O coronavírus adicionou um ponto de exclamação brutal à doença generalizada da América. Americanos com obesidade, diabetes, doenças cardíacas e outras doenças relacionadas à dieta têm cerca de três vezes mais probabilidade de sofrer resultados agravados de COVID-19, incluindo morte.

“Se tivéssemos nivelado as curvas ainda crescentes dessas condições, seria bem possível que nossa luta contra o vírus hoje fosse muito diferente. Para combater esta e outras pandemias futuras, precisamos falar não apenas sobre as máscaras que cobrem nossas bocas, mas também sobre a comida que entram nelas ”.

Claro, as pessoas recebem muitas informações conflitantes sobre quais alimentos são realmente os mais saudáveis. Infelizmente, pesquisas importantes, como o artigo publicado no Journal of American College of Cardiology, que mostra os benefícios das gorduras saturadas na dieta , são amplamente ignoradas.

Curiosamente, vemos milhares de pessoas que reverteram suas doenças crônicas por meio de dietas centradas em gorduras e proteínas animais. Essas pessoas estão gritando essas grandes vitórias na saúde do telhado nas redes sociais e, ainda assim, como sociedade, ainda estamos presos às recomendações fracassadas que vêm das Diretrizes Dietéticas.

Don Lyman, professor emérito de ciência alimentar e nutrição humana na Universidade de Illinois, escreve: “O COVID-19 aflige desproporcionalmente americanos de baixa renda. Adultos em famílias de baixa rende têm duas vezes mais chances de sofrer complicações graves com o coronavírus do que aqueles que ganham mais de US$ 50.000, de acordo com uma nova análise da Kaiser Family Foundation.

“Essa disparidade é trágica – mas não é surpreendente. Os pobres sofrem de doenças crônicas em taxas muito maiores do que a população em geral. E essas condições subjacentes tornam as pessoas especialmente vulneráveis ​​ao coronavírus.

“As doenças crônicas geralmente resultam, não de cuidados médicos inadequados, mas de uma dieta pouco saudável. Um estudo de 2018 publicado no Journal of the American Medical Association examinou mais de 80 fatores de risco para morte prematura. A má nutrição foi o fator isolado mais influente, contribuindo a mais de 520.000 mortes em 2016.

“Em suma, poderíamos evitar, literalmente, milhões de fatalidades a cada ano simplesmente adotando melhores padrões nutricionais. E podemos começar desestigmatizando os alimentos de origem animal. ”

Poderíamos debater a eficácia das máscaras e do distanciamento social. Mas, em vez disso, para mim e minha família, estamos focados em lavar as mãos, beber água, descansar adequadamente, tomar um pouco de sol e abastecer nossos corpos com carne, laticínios e ovos que enriquecem o cérebro, fortalecem os músculos e aumentam a imunidade.

Em vez de fomentar o medo, talvez esta seja a mensagem que os consumidores precisam ouvir. Coma carne. Fique bem. Fique saudável!

Amanda Radke, da Revista norte-americana BEEF – Tradução Compre Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.