Creep-feeding: Opção para nutrir bezerros durante o aleitamento

PARTILHAR
Crédito: Grupo Pastagem e Ciência

Ação se destaca pelo fornecimento de suplemento proteico energético para complementar a alimentação do bezerro em regime de pastagem.

O Brasil é o segundo maior produtor de bezerros do mundo, ficando atrás apenas da Índia, cujo rebanho de bovinos e bubalinos em 2020 foi estimado em 303,1 milhões de cabeças pelo Departamento de Agricultura do Estados Unidos (USDA). Esse fato evidencia o potencial do Brasil de produzir mais bezerros com o mesmo rebanho, tornando o setor mais eficiente na criação até o desmame, visando, além de bons números, a qualidade dos animais.

Atualmente, o pecuarista da atividade de cria nota que vender o bezerro por “cabeça” e não por peso não tem sido uma boa alternativa, uma vez que o valor do quilograma do bezerro desmamado tem se mantido em patamares elevados. “Esse momento do mercado só reforçou a necessidade de aliar taxa de desmame com quilograma de bezerro desmamado por vaca exposta, e, neste sentido, o sistema de creep-feendig se apresenta como ferramenta para desmamar bezerros mais pesados”, explica a Responsável Técnica da Minerthal, Letícia de Souza Santos.

De maneira geral, os objetivos a serem alcançados ao aderir o creep-feendig são: desmamar bezerros mais pesados; antecipar a desmama; produzir filhotes de melhor condição corporal; acelerar o ciclo pecuário; melhorar algumas características de carcaça; antecipação da idade do primeiro parto para fêmeas e abate para os machos – garantindo redução dos custos com tempo de permanência do animal na propriedade e proporcionando um giro rápido do capital investido; e, principalmente, bezerros mais sadios.

relacao entre mes de nascimento e peso a desmama
Fonte: Pastagem e Ciência

Nutrição na fase de aleitamento

Durante a fase de aleitamento, a nutrição inadequada dos bezerros pode provocar danos irreparáveis aos animais, uma vez que o bezerro desmamado mais leve tende a estar sempre em desvantagem quando comparado àquele mais pesado, sendo difícil recuperar essa diferença de ganho de peso ao longo da vida do animal. 

“Além disso, a atenção dada à nutrição dos bezerros favorece a ‘janela de marmoreio’, período em que o feto (ainda na barriga da mãe) e depois o bezerro tem para produzir as células de gordura, células essas que quando o animal estiver na fase de terminação começarão a ser preenchidas com gordura de marmoreio”, detalha Letícia.

O sistema de alimentação de bezerros em cocho privativo, denominado creep-feeding, é conhecido pelo fornecimento de suplemento proteico energético ou ração balanceada para complementar a alimentação do animal em regime de pastagem durante a fase de aleitamento.

O fornecimento deste alimento sólido é separado fisicamente para que apenas o bezerro tenha acesso ao cocho, e a matriz fique de fora. É importante salientar que a adoção do sistema visa o melhor desenvolvimento do bezerro e não “poupar” a mãe do fornecimento de nutrientes.

Essa suplementação destina-se a compensar a quantidade insuficiente de leite produzida pela mãe, principalmente a partir do terceiro mês pós-parto, ou durante os períodos desfavoráveis do ano em que há escassez de alimento.

Cientificamente, as vantagens da utilização do creep foram constatadas por diversos experimentos publicados em diferentes veículos científicos, que comprovam maior peso na desmama. Pesquisas demonstram que animais provenientes de cruzamento industrial foram desmamados com cerca de 30 quilogramas a mais quando suplementados no sistema creep-feeding.

Recentemente, um trabalho publicado pelo grupo “Pastagem e Ciência” demonstrou que bezerras suplementadas com o creep apresentaram maior taxa de prenhez, cerca de 28,9% a mais na primeira IATF, resultando em mais bezerros “do cedo” nascendo.

De acordo com o grupo, o bezerro que nasce entre junho e setembro apresenta maior peso a desmama, pelo fato de o ambiente proporcionar maior sanidade ao nascimento e logo após, a qualidade e disponibilidade da pastagem também fica melhor, o que acarreta uma nutrição mais eficiente para a matriz e a cria na época das águas.

Solução Minerthal para o creep-feeding

Normalmente, o suplemento proteico energético fornecido a bezerros apresenta farelos como fonte de proteína e energia, minerais, vitaminas e aditivos que evitem a ocorrência de distúrbios metabólicos e probióticos.

Um dos entraves para adesão ao creep-feeding é o consumo pelos bezerros e, por este motivo, o uso de farelos de melhor aceitabilidade pelos animais pode ser uma alternativa para estimular o consumo. Além disso, a utilização de produtos como os da linha MinerBlock®, com adição do melaço de cana-de-açúcar e adoçantes, conferem maior atratividade do produto pelos bezerros.

A Minerthal possui diferentes soluções para o pecuarista que pretende investir no creep-feeding, desde o núcleo para confecção da ração na propriedade até o produto pronto para uso farelado ou em formato compacto da linha MinerBlock®. O produto MinerBlock® Creep vem se destacando pela facilidade de manejo, mão-de-obra e reposição, conferindo maior versatilidade.

“Ao pensar em aderir ao sistema de creep-feeding, o pecuarista precisa se atentar a dois fatos importantes: estar prevenido quanto à nutrição do bezerro após o creep-feeding, permanecendo em estratégia de suplementação para continuar acelerando o desenvolvimento do animal. Além disso, manter o investimento em infraestrutura, que precisa ser calculado para garantir a programação correta do capital investido”, alerta a Responsável Técnica.

“De forma geral, o creep-feeding é uma excelente alternativa que pode ser estudada em cada propriedade com metas de desempenho estabelecidas que procurem melhorar seus resultados tanto de desempenho quanto financeiro”, conclui.

🚀 Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? ✅ 👉🏽 Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). 🚜🌱

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com