Custos de produção do milho e algodão sobem no MT

PARTILHAR

Segundo o Imea, os custos subiram em setembro. Aumento mensal do indicador do grão foi impulsionado principalmente pelas altas de despesas financeiras.

O custo de produção de milho da safra 2021/22 em Mato Grosso subiu em setembro, para variedades de alta tecnologia, informou o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em relatório mensal. O custo operacional efetivo (COE) aumentou 1,11% em relação a agosto e ficou em R$ 3.150,03 por hectare. Na comparação com a temporada anterior, há incremento de 22% no custo operacional efetivo.

O aumento mensal do indicador foi impulsionado principalmente pelas altas de despesas financeiras (2,26%), fertilizantes e corretivos (1,84%) e operações mecanizadas (1,24%). O COE inclui despesas com aquisição de insumos agrícolas (sementes, fertilizantes, defensivos), operações mecanizadas, mão de obra, impostos e taxas, combustíveis, custo de pós-produção (beneficiamento, classificação, armazenagem, transporte) e despesas financeiras (financiamentos, seguros).

O custo total de produção do milho de alta tecnologia no Estado foi estimado em R$ 4,158,69 por hectare em setembro, avanço de 0,85% no mês, e ante R$ 3.378,06 por hectare observados na temporada 2020/21.

Algodão
O custo de produção de algodão em Mato Grosso na safra 2021/22 subiu em setembro, informou o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), em relatório mensal. Segundo o Imea, custo de produção de algodão em Mato Grosso na safra 2021/22 aumentou 2,27% em relação a agosto, estimado em R$ 14.201,88/hectare até o mês passado. A safra 2021/22 é semeada no fim do ano.

Em relação à safra 2020/21, que foi colhida recentemente, estima-se que haverá aumento de 45,2% no custo operacional efetivo. O COE inclui despesas com aquisição de insumos agrícolas (sementes, fertilizantes, defensivos), operações mecanizadas, mão de obra, impostos e taxas, combustíveis, custo de pós-produção (beneficiamento, classificação, armazenagem, transporte) e despesas financeiras (financiamentos, seguros).

No mês passado, os principais itens que sustentaram a alta do custo de produção foram os fertilizantes e corretivos (+7,05%) e as despesas financeiras (+2,62%), afirmou o instituto. O custo total de produção de algodão no Estado avançou 2,10% em setembro ante agosto para R$ 15.669,48/hectare.

Fonte: Estadão Conteúdo

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com