Dólar dispara e preço dos grãos vai junto, diz Agrifatto

Dólar dispara e preço dos grãos vai junto, diz Agrifatto

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Bloqueio no Canal de Suez e pandemia dão impulso para dólar e petróleo que trazem sustentação para o preço da soja e valorização para os preços do milho.

Preço do cereal segue sustentado no mercado físico se aproxima de R$94,00/sc em Campinas/SP diante da necessidade dos compradores. No mercado futuro, o avanço da moeda norte-americana deu suporte para as cotações avançarem, com o contrato maio/21 encerrando em R$94,53, valorização diária de 1,3%.

Alta do petróleo no mercado internacional alavancou as cotações do milho em Chicago, que encerrou o último pregão da semana registrando alta de 1% para o contrato maio/21 com a cotação em US$5,53/bu.

Boi gordo

A penúltima semana de março encerrou com a estabilidade das indicações da carcaça casada no mercado atacadista de carne bovina. Apesar de testar valores mais altos na quinta-feira, a sexta-feira fechou estável, com os preços balizados em R$ 19,10/kg. Esta semana será de muita cautela e as expectativas, até o momento, são baixas.

Na B3, o dia foi de comportamento misto dos contratos futuros de boi gordo. O maio/21, fechou o dia cotado a R$ 305,35/@, desacelerando pontualmente 0,07% ante a véspera. Já o abril/21, avançou 0,24% na comparação dia e cotado a R$ 313,25/@.

Soja

Avanço do dólar sobre o real e a demanda por soja sustentam os preços da oleaginosa no mercado interno. No Porto de Paranaguá/PR, o preço da soja retorna para R$172,00/sc no último dia da semana.

Em sessão de realização de lucros cotações da oleaginosa encerram a semana com desvalorização em Chicago. O contrato maio/21 recuou 0,9% e fechou o pregão da sexta-feira em US$14,00/bu.

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com