Duas plantas nativas do Cerrado constam da lista de espécies da flora ameaçadas de extinção

PARTILHAR
foto: Divulgação
foto: Divulgação

Entre as 19 espécies classificadas como Em Perigo,  há, também do Cerrado, o alecrim-do-campo (Anemopaegma arvense)

O Ministério do Meio Ambiente divulgou, neste mês, a lista de espécies da flora ameaçadas de extinção. A relação inclui 51 espécies classificadas em Criticamente Ameaçadas de Extinção (4), Em Perigo (19) e Vulneráveis (28).

Entre as quatro espécies Criticamente Ameaçadas de Extinção, o grau mais alto de risco, estão duas nativas da nossa região: o capim-rabo-de-raposa (Setaria parviflora), uma erva forrageira do Cerrado, e uma sempre-viva nativa do Cerrado (Xyris platystachya). As outras duas são a gravatá (Dyckia distachya), uma bromélia exclusiva da Mata Atlântica; e o amarelão (Euxylophora paraensis), uma árvore amazônica.

Entre as 19 espécies classificadas como Em Perigo,  há, também do Cerrado, o alecrim-do-campo (Anemopaegma arvense). 

A  publicação da lista serve como alerta e incentivo para o uso de métodos de recomposição de vegetação nativa em áreas degradadas ou alteradas que  utilizem as espécies ameaçadas, de acordo com o bioma onde estão situados.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR