Entenda o que são defensivos agrícolas

Entenda o que são defensivos agrícolas

PARTILHAR
Foto Divulgação.

A forma que a ciência agrícola desenvolveu para evitar que as pragas tomem conta das lavouras é constituída principalmente pelos defensivos agrícolas.

A produção agrícola precisa ser eficiente e apresentar boa produtividade para atender às demandas do mercado. Pragas e doenças que afetam a lavoura e as pastagens são grandes limitadores da produção, muitas vezes reduzindo ou até quebrando a safra.

Para conseguir realizar o potencial da sua lavoura com um bom desempenho e produtos de boa qualidade, o produtor precisa evitar que insetos e micro-organismos tomem conta da plantação. A forma que a ciência agrícola desenvolveu para esse fim é constituída principalmente pelos defensivos agrícolas.

Continue a leitura e entenda o que são, qual é a sua importância e como utilizar adequadamente esses produtos!

O conceito de defensivos agrícolas

Defensivos agrícolas são produtos de natureza física, química ou biológica, utilizados na produção agrícola e na pecuária com o fim de proteger a lavoura e as pastagens do ataque de seres vivos que a prejudicam. Assim, a intenção é de proteção e, como o próprio nome já indica, de defender a lavoura.

No ambiente de desenvolvimento de uma lavoura ou pastagem, há uma infinidade de plantas daninhas concorrentes, assim como insetos, ácaros, fungos, bactérias e vermes que podem trazer grandes prejuízos à produção. Em muitos casos, a sua presença é simplesmente um impedimento para alcançar uma produtividade razoável, inviabilizando o cultivo.

Os defensivos agrícolas são como os medicamentos que utilizamos para prevenir ou para curar determinadas doenças, assim como para combater vermes e parasitas que invadem o nosso organismo. Os medicamentos apresentam uma função específica e precisam ser utilizados do modo correto ou podem ser prejudiciais à saúde.

Assim, também, é necessário que a utilização de um defensivo agrícola se dê de forma correta, segundo a rotulagem do produto e as orientações técnicas do Engenheiro Agrônomo que o receitou. O mau emprego e a aplicação inadequada criaram uma imagem errada dos defensivos, que são, na verdade, recursos essenciais para a terra e a boa produção da lavoura.

A importância e a função na agricultura

Como visto, o principal objetivo dos defensivos agrícolas é prevenir e tratar o surgimento de agentes prejudiciais à lavoura e à pastagem. Apesar de a essência da atuação ser essa, existem outras razões pelas quais eles são importantes para a produção rural.

Atualmente, a população gera uma grande demanda para as produções agrícolas, sobretudo de alimentos. Por essa razão a tecnologia também avança constantemente para que sejam alcançados altos índices de produtividade e se consiga abastecer a necessidade existente no mundo.

Além disso, é preciso gerar produtos de qualidade, com desenvolvimento satisfatório e capazes de atender às necessidades da população. A demanda por alimentos ou por matéria-prima vegetal ou animal para a indústria não pode dividir espaço com larvas, fungos e bactérias.

Por essa razão, é preciso que haja um agente de proteção da lavoura garantindo a produtividade: esse é o papel do defensivo agrícola. Assim, não dá para desconsiderar a importância desses produtos quando se pensa em qualidade e eficiência agrícolas — são parceiros que a tecnologia disponibiliza para a boa produção no campo.

Os diferentes tipos de defensivos

As lavouras, em sua luta constante pelo desenvolvimento, enfrentam diferentes agentes biológicos que dela querem tirar proveito. Desse modo, há a necessidade do emprego de defensivos que sejam eficazes em cada situação que se apresente.

Nesse sentido, conforme o tipo de doença ou praga que deve ser controlada, existem diferentes produtos, conforme listamos abaixo:

  • inseticida: controla insetos;
  • fungicida: controla fungos e bolores;
  • bactericida: combate bactérias;
  • herbicida: controla ervas daninhas;
  • acaricida: controla ácaros;
  • nematicida: combate nematoides.

Por sua vez, determinadas fases do desenvolvimento das plantas são mais propícias ou mais adequadas para a utilização do defensivo apropriado. Assim, por exemplo, podem ser citados os períodos:

  • pré-emergente: aplicado no solo antes da germinação da semente;
  • pós-emergente: aplicado no solo após o surgimento da planta no campo;
  • pré-colheita: aplicado na planta antes da colheita;
  • pós-colheita: aplicado no produto colhido ou no solo após a colheita.

Outras características, como a apresentação do produto (em pó, líquido, concentrado solúvel, pó molhável, entre outras) ou a sua origem (natural, biológico, sintético/químico), também podem ser utilizadas para definir os tipos de defensivos agrícolas disponíveis.

As melhores práticas para aplicação

As Boas Práticas Agrícolas (BPA) aplicadas aos defensivos agrícolas são essenciais para que o controle de pragas e doenças não se transforme em novos problemas. Desse modo, a saúde dos operadores e dos consumidores, assim como o meio ambiente, não são afetados quando é feito o uso adequado dos produtos.

Nesse sentido, para que todo o processo de aplicação dos defensivos seja seguro e a fim de garantir a eficácia, é possível seguir algumas boas práticas, como as citadas abaixo:

  • consulte um Engenheiro Agrônomo para que seja indicado o produto mais adequado por meio do receituário agronômico;
  • só adquira produtos com a embalagem fechada e sem danos, em especial no lacre;
  • informe-se sobre o estabelecimento licenciado para recebimento de embalagens vazias mais próximo da sua propriedade;
  • peça a Nota Fiscal e guarde-a junto aos demais documentos da produção;
  • confira o prazo de validade do produto que você está levando;
  • certifique-se de que você sabe o que fazer no caso de acidente envolvendo o produto durante o preparo ou a aplicação;
  • capacite a sua mão de obra operacional, principalmente os aplicadores manuais e tratoristas;
  • siga as orientações da embalagem e a dosagem recomendada pelo técnico;
  • adote todos os cuidados recomendados para o preparo da calda;
  • faça uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) específicos para o tipo de produto utilizado;
  • respeite o intervalo entre as aplicações, conforme orientação do fabricante;
  • registre todas as aplicações de defensivos, anotando produto, dosagem, área aplicada e data;
  • realize a tríplice lavagem das embalagens vazias;
  • encaminhe as embalagens vazias após lavagem para a unidade de recebimento licenciada.

Como visto, defensivos agrícolas são importantes aliados da produção, garantindo a saúde da lavoura e das pastagens. No entanto, eles devem ser utilizados com responsabilidade e seguindo os devidos cuidados para que os resultados sejam os melhores.

Fonte: Belgo Arames

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com