Exportação de carne Angus bate recorde em 2020

Exportação de carne Angus bate recorde em 2020

PARTILHAR
Associação Brasileira de Angus lança selo para reprodutores melhoradores de Qualidade de Carne
Foto: Divulgação

Segundo a Associação Brasileira de Angus, o principal destino da proteína certificada foi a China, que comprou mais de 40% do total embarcado. Confira!

A Associação Brasileira de Angus encerra 2020 batendo a marca histórica de Carne Angus Certificada enviada ao mercado externo. Segundo levantamento realizado pela entidade, de janeiro a novembro deste ano, foram exportadas 531.528 toneladas de Carne Angus. O montante é 31% superior a 2017, ano em que se embarcou, até então, a quantia recorde de 405.817 toneladas.

O principal destino dos produtos foi a China. O país asiático foi responsável pela compra de 43,7% do total exportado. “Apesar da pandemia, conseguimos nos posicionar no mercado, mostrando que somos produtores e exportadores de carne de alta qualidade e com valor agregado”, avalia a gerente do Programa Carne Angus Certificada, Ana Doralina Menezes.

Para Ana Doralina, o resultado das vendas sinaliza a valorização da carne premium brasileira e confirma a excelência dos produtos que estampam o selo verde-amarelo da Angus. “Nosso objetivo é conquistar cada vez mais novos mercados pelo mundo. Por isso, em 2021, seguiremos trabalhando do campo aos frigoríficos para entregar uma carne com qualidade diferenciada e padronização de ponta”, assegura a gerente.

Assim que a pandemia permitir, a Angus também planeja intervenções no exterior para abrir novos mercados para o Angus do Brasil, que já chegou a países exigentes como a Alemanha e tem clientes fiéis nos países árabes.

Em 2020, a raça também registrou expansão no número de carcaças certificadas pelo Programa Carne Angus dentre o universo de animais recebidos nas unidades frigoríficas parceiras.

Conforme levantamento, de janeiro a outubro, a porcentagem de certificação saltou de 69%, em 2019, para 72%, em 2020. O balanço ainda sinalizou para crescimento na produção de cortes por carcaça.

O aproveitamento dos animais certificados teve alta de 25%. Segundo Ana Doralina, a expansão foi de 72,5 quilos para 90,6.  “Essa quantia é bastante significativa, já que tivemos um ano de incremento nas exportações. Dentro dos frigoríficos, acabamos disputando os cortes entre mercado interno e externo por questão de valor”, avalia.

Em 2020, o portfólio de parceiros do Programa Carne Angus também cresceu com a adesão dos frigoríficos Coqueiro (RS) e Boibras (MS) e das redes varejistas Comper (MS) e Festval (PR).

O Programa Carne Angus tem, atualmente, 38 unidades frigoríficas certificando em 11 estados brasileiros. “Fechamos parcerias importantes neste ano. No próximo, há novas empresas para se somar a esse time, algumas parcerias, inclusive, já estão em andamento”, garante a gerente do Programa.

Para o presidente da Associação Brasileira de Angus, Nivaldo Dzyekanski, apesar do ano atípico, a raça Angus seguiu avançando por todos os cantos do Brasil, mostrando sua eficiência e adaptabilidade pelos diferentes climas e solos.

“Em 2020, avançamos no Carne Angus, nas exportações, nas parcerias, na comercialização de animais na Temporada, na contratação de reprodutores nacionais por centrais de inseminação e no desenvolvimento da genômica. Com todos os cuidados necessários, mantemos nossa atuação e encerramos o ano com a certeza de que a genética Angus segue sendo uma potência no mercado”.

Os ganhos do Programa Carne Angus começam no campo. Consciente disso, a Angus realizou ao longo do ano diversas ações de fomento ao melhoramento genético no rebanho nacional. Fechou parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para o desenvolvimento da base de dados e de procedimentos necessários para a implementação da genômica no Brasil e para a realização do Teste de Eficiência Alimentar.

“As provas são muito importantes para a raça Angus, pois geram informações cada vez mais relevantes para a pecuária moderna. Também são essenciais para a evolução da genômica, para que, em breve, possamos predizer essa característica sem ter que colocar os animais em avaliação nos cochos”, afirma o gerente de Fomento da Angus, Mateus Pivato.

Fonte: Associação Brasileira de Angus

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com