Exportação de carne: Média diária recua, mas ainda pode superar recorde

Exportação de carne: Média diária recua, mas ainda pode superar recorde

PARTILHAR

A média diária recuou 8%, saindo das 10,50 mil toneladas/dia para 9,66 mil toneladas/dia. Ainda assim, a possibilidade de que o recorde histórico!

Após uma primeira semana excepcional, com uma média diária de exportação de carne bovina que rompia as 10,5 mil toneladas, os embarques de proteína bovina sentiram levemente um recuo durante a última semana. A média diária recuou 8%, saindo das 10,50 mil toneladas/dia para 9,66 mil toneladas/dia. Ainda assim, a possibilidade de que o recorde histórico das exportações de carne bovina (170,55 mil toneladas) seja batido é cada vez maior, com a média diária podendo recuar mais de 5% e ainda assim rompermos tal número.

A receita com os envios de proteína bovina seguiu um caminho parecido com o volume, já que praticamente não houve alterações do preço médio comercializado, com a tonelada saindo em média por US$ 4.391. Desta forma, o total obtido com as vendas de carne bovina atingiram US$ 382,00 milhões, com uma média diária de US$ 42,44 milhões, 23% a frente do que fora registrado em todo o mês de outubro/20.

Com pouco mais de 1,11 milhão de toneladas exportadas durante a última semana, o total embarcado de milho chegou a 2,27 milhões no acumulado até o dia 13/11/2020. Com isso a média diária estabeleceu-se em 252,34 mil toneladas, 13% pior do que era a média da 1ª semana do mês e 2% abaixo da média do mês de outubro/20. Com o fluxo de exportação de milho ainda intensificado, a expectativa é de que 5 milhões de toneladas de cereal sejam exportadas em novembro/20.

A receita obtida com a venda de milho segue acima do que foi em outubro/20 graças aos preços internacionais. Isso por que a receita média diária obtida ainda está 6% acima do que foi em outubro/20, chegando aos US$ 45,81 milhões, o resultado levemente melhor que no mês passado se dá graças a melhora dos preços de venda do cereal, que avançaram 9% nesses 15 primeiros dias de novembro/20 e chegaram ao valor médio de US$ 181,5/t.

Com a intensa migração de demanda para os EUA, graças a colheita finalizada no país norte-americano, as exportações de soja sofreram uma forte queda na 2ª semana de novembro/20. A média diária embarcada para fora do país caiu 48% no comparativo semanal, saindo de 201,47 mil toneladas/dia na semana retrasada para 103,89 mil toneladas/dia na última semana. Com isso, a possibilidade de que não se rompa o patamar de 2 milhões de toneladas exportadas em novembro/20 cresce vertiginosamente.

O desempenho da receita com a exportação de soja também seguiu caminho parelho ao volume, reduzindo 49% no comparativo semanal. A média diária recuou de US$ 74,20 milhões para US$ 37,88 milhões, com somente US$ 44,18 milhões obtidos durante a 2ª semana do mês de novembro/20 (na primeira semana foram US$ 296,81 milhões).

Fonte: Agrifatto

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com