Exportações de carne em junho batem recorde do ano

PARTILHAR
carcaça
Foto Divulgação.

Embarques em junho tiveram um avanço de 10,73% frente ao total exportado no mês de maio deste ano. Confira os dados abaixo!

Em junho passado, nas exportações de carnes, o único decréscimo de volume em relação ao mesmo mês de 2020 recaiu sobre a carne bovina, cujos embarque recuaram 7,64%. Carne de frango e suína tiveram incremento anual de volume muito próximos – de 13,73% e 12,38%, respectivamente.

As três carnes obtiveram aumento no preço médio, todos superiores a 20%. Ou, mais exatamente, de 20,54% a carne bovina, de 21,04% a carne suína e de 26,81% a carne de frango.

O corolário, claro, foi um incremento generalizado na receita cambial. De 11,33% a carne bovina, de 36,02% a carne suína e de 44,23% a carne de frango.

Somados, os embarques das três carnes apresentaram expansão anual de 7,71%. E as pouco mais de 600 mil toneladas embarcadas no mês geraram receita de US$1,568 bilhão, valor 25,77% superior ao de junho de 2020.

O volume exportado em junho deste ano registrou um recuo de 7,64% frente ao total embarcado no mesmo período do ano passado, que foi de 151,9 mil toneladas. Porém, foi o melhor desempenho deste ano, com o segundo melhor desempenho registrado no mês de março/21 de 133,8 mil toneladas.

A Secretaria de Comércio Exterior (Camex) reportou que a média diária atingiu 6,6 mil toneladas no mês de junho, isso representa uma queda de 7,64% frente a média do total exportado no mesmo período do ano passado, que ficou em 7,2 mil toneladas.

De acordo com o Analista da Safras & Mercados, Fernando Henrique Iglesias, o bom desempenho dos embarques neste mês é reflexo dos contratos fechados nos meses anteriores e que o mercado segue atento em como vai ser o desempenho no segundo semestre. “O preço do suíno está recuando na China e isso é um sinal de alerta para o mercado, pois se os chineses não reduzirem o volume comprado de proteína vão tentar renegociar preços da carne bovina brasileira”, informou.

Os preços médios no acumulado de junho ficaram próximos de US$ 5,181,3 mil por tonelada, uma alta de 20,54% frente aos dados divulgados em junho de 2020, que registraram o valor médio de US$ 4.298,4 mil por tonelada.

Segundo as informações da Radar Investimentos, a queda do dólar não impactou o preço médio da tonelada exportada e o valor convertido em reais teve um acréscimo de 16,41% frente ao mês de junho de 2020.

Com informações do Notícias Agrícolas

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com