Fazenda Blindada: revoluciona gestão de fazendas

PARTILHAR

Consultoria inclui implantação de software e planejamentos de fluxo operacional e de caixa por 5 anos; Metodologia criada em Goiás revoluciona gestão de propriedades.

O Brasil é um país movido pelo agronegócio. A frase parece clichê, mas é a mais pura verdade. Por exemplo, somos o maior produtor e exportador de soja, café e carne bovina. E não é o Curta Mais que está dizendo não, são os pesquisadores da  Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas (Sire), que avaliaram números da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). 

Segundo o estudo, de 2000 a 2020, o País foi o segundo maior produtor e exportador de soja, mas no ano passado, alcançou o primeiro lugar, com 126 milhões de toneladas produzidas e 84 milhões exportadas e responde hoje por 50% do comércio mundial de soja. Também foi responsável por mais de um quarto (25,5%) das exportações mundiais de café, comercializando 2 milhões de toneladas, seguido do Vietnã com 20,2% e da Colômbia com 10,7%.

Em 2020, o rebanho bovino brasileiro foi o maior do mundo, representando 14,3% do mundial, com 217 milhões de cabeças de gado, seguido pela Índia com 190 milhões de cabeças. De acordo com o IBGE, a população de pessoas é de 213 milhões, isso quer dizer que tem mais gado que pessoas, nesse país. Como diria um meme por aí, é verdade esse “bilete”. Contudo, trabalhar na terra e fazer dela um negócio de sucesso é mais desafiador do que parece. 

Os números robustos apenas mostram o potencial que o país tem em seus vastos 8.516.000 km² de território. Pequenas, médias e grandes propriedades precisam se profissionalizar, afinal, como pode ser visto, existem grandes oportunidades.

“O agronegócio gira muito dinheiro, todavia na maioria das vezes as margens são muito apertadas, e por isso as decisões precisam ser muito assertivas e baseadas em dados e informações concretas e corretas”, pontua o engenheiro de produção com 10 anos de experiência, Ronaldo Junqueira. 

Junqueira é o criador da Fazenda Blindada, uma metodologia de administração de negócios do agro, que tem como objetivo profissionalizar a gestão de uma fazenda. Ele investiu sua experiência com pai que é ex-produtor rural, somada ao aprendizado acadêmico para criar um projeto específico para esse tipo de negócio. 

É muita coisa para administrar, calcular, organizar e por isso, além da consultoria, a Fazenda Blindada também oferece um software de gestão que ajuda no apontamento e organização dos dados e também treinamentos e capacitação da equipe.

“Em resumo, pegamos as ferramentas de gestão que as grandes empresas utilizam e traduzimos para a linguagem do produtor rural. A grande sacada está nessa “tradução”, pois o agro tem regras de negócio completamente diferentes das outras atividades econômicas, e isso ao meu ver é algo fascinante”, detalha  Ronaldo, com empolgação. 

Ele explica que o trabalho é realizado como se fosse um “check up” clínico onde a fazenda passa por uma bateria de exames. Os indicadores mostram como está a saúde financeira, e depois aplica-se o remédio para manter ou melhorar a performance, e isso se dá através de uma ferramenta de planejamento estratégico e de fluxo de caixa para os próximos 5 anos.

A Fazenda Blindada já ajudou fazendeiros em 10 estados do Brasil, em propriedades de 100 até 45 mil hectares. Além dos benefícios de melhorar a performance financeira das fazendas, a metodologia faz com que as propriedades sejam administradas com uma transparência fundamental para manter as boas relações familiares, também muito comuns nesse ramo, como lembra Ronaldo. 

O programa busca também quebrar estigmas e transformar a gestão da fazenda para ser prática e alcançar altos níveis de gestão e governança. “ Acreditamos que um negócio rural só poderá ser próspero se a parte administrativa e operacional andarem juntas em altos níveis de excelência”, finaliza. 

Fonte: Curta Mais

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com