Frigorífico procura, paga mais caro e não acha o boi!

Frigorífico procura, paga mais caro e não acha o boi!

PARTILHAR
@fazendasbergamini

A verdade é que o pecuarista com boi gordo para negociar está atento, de olho no período de maior demanda na virada de mês; Preço vai disparar!

Os preços do boi gordo voltaram a subir nesta segunda-feira, 26, em grande parte do país. Os fatores de sustentação dos preços continuam fortes, trazendo para o ambiente de negócios o viés de continuidade do movimento de alta nos preços. Segundo o Cepea, o Indicador do Boi Gordo, voltou a registrar recorde nesta abertura de semana!

O mercado do boi gordo registrou novas valorizações em praças importantes do País, como nos balcões de São Paulo, e também subiram no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e algumas regiões do Norte e Nordeste, mostrando que o movimento de alta segue firme no mercado!

É isso mesmo pecuarista, prepare o coração que vem novo movimento de alta no mercado. Publicamos essa semana que, quem tiver boi gordo nesse momento é o verdadeiro Rei do Gado na pecuária.

Os preços médios mensais do boi gordo seguem em alta e renovando as máximas reais da série histórica do Cepea. O indicador CEPEA/Esalq, média das praças de São Paulo, fechou a segunda-feira em R$ 270,50/@, à vista.

Em São Paulo – referência para outras praças do País –, o valor médio para o animal terminado chegou a R$ 268,85/@, nesta segunda-feira (26/10), conforme dados informados no aplicativo da Agrobrazil. Já a praça de Goiás teve média de R$ 259,85/@, seguido por Mato Grosso Sul com valor de R$ 257,76/@.

Mercado futuro

Os negócios de R$ 270,00/@ começam a pipocar com mais força em São Paulo, colocando tal valor já como referência para negócio do boi comum paulista. No gado com destino exportação, o preço chega a ser de R$ 2,00 a 4,00/@ maior. Na B3, a referência para dezembro/20 subiu 1,92%, fechando a segunda-feira cotado a R$ 289,00/@, voltando a flertar com as máximas da última semana.

Exportações em alta

No acumulado das três primeiras semanas de outubro, o volume exportado de carne bovina in natura foi 6,04% superior ao registrado no mesmo período em 2019, atingindo 8,22 mil toneladas na média diária ao longo dos 11 primeiros dias úteis do mês, de acordo com dados preliminares da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em termos de receita, as exportações renderam cerca de US$ 34,7 milhões por dia para a balança comercial brasileira, elevação de 09% frente a média de outubro/19.

Expectativa de alta no mercado

A oferta restrita de animais, observa a IHS, não possibilita uma maior liquidez de negócios no mercado físico, mesmo havendo reajustes nas indicações de compra de gado. “Tais condições devem manter a expectativa de cotações firmes nos próximos dias, sobretudo com a chegada de virada de mês (quando entra o dinheiro dos salários na conta dos trabalhadores”, prevê a IHS.

Segundo a consultoria, do lado vendedor, os pecuaristas que têm animais gordos para negociar estão cautelosos, de olho no período de maior demanda nesta virada de mês e na forma como as indústrias devem trabalhar as suas escalas nos próximos dias.

Atacado

No mercado atacadista, a semana iniciou com preços acomodados. De acordo com Iglesias, a tendência é que o movimento de alta ganhe consistência no decorrer da primeira quinzena de novembro, período que conta com maior apelo ao consumo.

Com isso, o corte traseiro seguiu em R$ 19,60 o quilo. O corte dianteiro permaneceu em R$ 14,40 o quilo, e a ponta de agulha seguiu em R$ 14,35 por quilo.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em baixa de 0,31%, sendo negociado a R$ 5,6130 para venda e a R$ 5,6110 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,6130 e a máxima de R$ 5,6640.

Compre Rural com informações da Agrobrazil, Cepea, IHS Markit, Agência Safras, Portal DBO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com