Gestão e manejo adequado impactam na rentabilidade do leite

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Projeto Campo Futuro da CNA, Senar e Cepea-Esalq/USP mostra resultados de estudo realizado em propriedades de Mato Grosso do Sul.

Um estudo realizado pelo projeto Campo Futuro analisou propriedades de bovinocultura de leite nos municípios de Camapuã, Paranaíba e Glória de Dourados. Segundo as informações coletadas, a atividade se torna economicamente rentável por meio de técnicas para aumentar a produtividade e reduzir os custos com benfeitorias.

Conforme os dados apresentados, a receita das propriedades modais de Camapuã e Paranaíba cobriram o COE (Custo Operacional Efetivo), mas não o COT (Custo Operacional Total) e o CT (Custo Total). Portanto, a médio e longo prazo elas não se mantêm viáveis economicamente, impossibilitando a renovação de máquinas, implementos, equipamentos e utilitários ao fim de sua vida útil. Em Glória de Dourados, a atividade leiteira foi eficiente economicamente, se mantendo no médio prazo, mas não no longo prazo.

A analista técnica do Sistema Famasul, Fernanda Oliveira, explica que o manejo adequado pode aumentar a produtividade como forma de alternativas para reduzir os custos. “Elevar a produtividade dos sistemas, com aumento do desempenho produtivo das vacas em lactação, dividindo-as em lotes por produtividade, para racionalizar o fornecimento de ração é uma alternativa para diluir os custos e tornar esses indicadores positivos”.

Em Camapuã a quantidade de vacas em lactação pelo total do rebanho é de 32,7% e 53,3% pelo total de vacas. Em Paranaíba esses valores são de 32,3% e 55,5% respectivamente. Em Glória de Dourados, 36,3% e 71,4% na mesma ordem.

Outra ação é melhorar o manejo das pastagens, para aumentar a quantidade e qualidade das forragens, a lotação animal e melhorar a condição nutricional das vacas. “Com essa prática é possível reduzir a idade ao primeiro parto das primíparas e o intervalo entre partos, chegando à porcentagem ideal de 45% das vacas em lactação pelo total do rebanho e 85% pelo total de vacas da propriedade”, acrescenta.

De acordo com as informações coletadas, em relação a genética, as propriedades dos municípios de Camapuã e Paranaíba, utilizam o meio sangue Girolando para o rebanho, e em Glória de Dourados, as raças Holandesa, Jersey e Girolando 7/8. Todas as propriedades utilizam ordenha mecânica e ordenham duas vezes ao dia.

Campo Futuro – O Projeto é uma ação da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) e Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), em parceria com o Cepea-Esalq/USP (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), tendo como metodologia a identificação da propriedade típica da região, através da técnica de painel para levantamento dos coeficientes técnicos e custo de produção.

O Senar Mato Grosso do Sul oferece Assistência Técnica e Gerencial aos produtores rurais em diversas cadeias produtivas, entre elas em bovinocultura de leite, com orientações adequadas sobre gestão e manejo para que a propriedade se torne ambientalmente e economicamente sustentável.

Fonte: CNA

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com