Girolando: rusticidade e produtividade na pecuária leiteira

PARTILHAR
vacas e novilhas da raça girolando 1
Foto: Fazenda Uberaba

Girolando, o mestiço leiteiro brasileiro, é uma das raças leiteiras mais importantes do nosso país, garantindo o crescimento da produção nacional!

Pensa em um animal, bem formado, com porte imponente, dócil, de fácil manejo e com produtividade excelente. Todas essas qualidades são demonstradas em número, segundo a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, a raça é responsável por aproximadamente 80% de todo o leite produzido no Brasil. 

Essa preferência dos criados pela raça, não é de hoje. A raça que conquistou o mercado leiteiro brasileiro, é capaz de unir a rusticidade, a fertilidade, a produção e a longevidade das raças de origem e evidenciar tudo em uma única raça. 

Conforme a Portaria 079 de 01 de fevereiro de 1996, a raça GIROLANDO foi oficializada pelo Ministério da Agricultura, passando a entidade a adotar o nome de ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE GIROLANDO, com a sigla ‘GIROLANDO”, e registro nº 59, da série Entidade de Âmbito Nacional, no cadastro das Associações encarregadas do Registro Genealógico, tendo por finalidade precípua incrementar de maneira racional, a criação da raça Girolando, congregando e defendendo o interesse de seus associados.

Mas você sabe como essa raça foi formada? 

Dizem que nos anos 40 um touro da raça Gir acidentalmente entrou em um pasto com vacas Holandês que estavam no cio e então surgiu a raça Girolando. Mas, o que se sabe oficialmente, é que na mesma década houve os primeiros cruzamentos entre as raças Holandês e Gir, a fim de aliar os melhor das duas raças, ou seja, a excelente capacidade do gado Holandês na produção de leite e a rusticidade da raça Gir. 

Depois de alguns anos, na década de 70, foi criado o Programa de Cruzamento Dirigido – PROCRUZA -, com o objetivo disseminar animais que pudessem expressar todo o potencial genético da raça. Além disso, iniciou-se pesquisas intensivas com o objetivo de adaptar esse animal as condições de pasto e clima no país. 

Definindo a raça

Atualmente o Ministério da Agricultura, assim como as associações representativas, definem as normas de formação da raça Girolando – Gado Leiteiro Tropical (5/8 hol + 3/8 gir – Bi Mestiço). 

A vaca é manejo fácil pelo seu comportamento dócil, a conformação do animal também facilita a ordenha, o úbere é densamente irrigado por vasos sanguíneos ricos em nutrientes e possui uma boa estrutura de tetas.
Uma carcaça forte, harmoniosa e é considerada de estatura média.

Girolando cresce em registros e associados em 2020
Foto: Divulgação

A raça conseguiu agregar a rusticidade do Gir e a produção leiteira do gado holandês, com excelente adaptabilidade ao clima e ao tipo de pasto nas regiões tropicais. 

Enfrentando os desafios

Quem atua na pecuária no Brasil, sabe que, entre tantos outros desafios, as más condições das pastagens, com forrageiras de baixa qualidade nutricional, as técnicas de manejo ainda precárias e o baixo potencial genético do rebanho, são verdadeiras ciladas ao produtor. 

Por estas e outras razões, os criadores da raça Girolando buscam sempre aprimorar a qualidade do rebanho em suas propriedades. A seleção de animais mais produtivos, mais rústicos e dóceis, fizeram do mestiço leiteiro, uma raça com tantos adeptos nas regiões de bacias leiteiras. 

Graças ao trabalho dedicado de criadores da raça, esse cruzamento foi um sucesso, produzindo animais extremamente rústicos e adaptados na produção leiteira e até mesmo de corte.

As fêmeas são conhecidas pela capacidade de produzir leite em quantidade e qualidade, enquanto os machos, são animais que se expostos a mesma condição de pasto e suplementação de outras raças, atingem igualmente a formação em peso e carcaça. 

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.