Herói, vaqueiro enfrenta enchente e salva rebanho

Herói, vaqueiro enfrenta enchente e salva rebanho

PARTILHAR

Os animais ficaram ilhados em meio ao pasto, de onde Luiz Carlos da Silva conseguiu soltá-los por volta das 20h, com a ajuda de um amigo. Assustado, o gado fugiu, mas a última cabeça foi recuperada esta semana.

O desespero de 21 cabeças de gado ilhadas em meio a enchente que atingiu o distrito de Pacotuba, em Cachoeiro de Itapemirim, comoveu o vaqueiro Luiz Carlos da Silva. Já era noite quando ele e um amigo enfrentaram a força das águas para libertar os animais. “Eles berravam muito, estavam desesperados com tanta água”, lembra. Para surpresa dele, na última terça-feira (04) conseguiu recuperar o último que estava perdido. “Todas sobreviveram. Pelo que passaram, parece um milagre”, relata.

Os animais pertencem  à Fazenda Experimental do Incaper em Bananal do Norte, localizada em Pacotuba, local onde o vaqueiro Luiz Carlos, de 56 anos, trabalha desde os 14 anos. Aquela era a segunda tentativa de resgate que ele fazia  no sábado, dia 25 de janeiro, quando o nível do rio começou a subir muito.

Somente às 20 horas, quando retornou com um amigo, conseguiu libertá-los. “Quatro foram para o lado certo e salvamos logo, as 17 restantes fugiram e mergulharam na água. Calculei que iria perder todas. A força da água era muito forte. Nunca vi nada igual”, relata.

Com a água que já tinha alagado o pasto ainda subindo, eles conseguiram abrir um portão, mas apenas quatro cabeças os acompanharam para um local seco. Como o restante do gado estava muito agitado, eles decidiram empurrá-los contra  uma cerca para que ela se rompesse. Foi o que aconteceu.

“Eles saíram correndo em direção a área da ponte, que estava alagada, com mais de um metro e meio de água passando sobre ela. Vi que foram nadando, mas estava preocupado,  pensei que morreriam. Não dava para segui-los. Era muita água e acabaríamos sendo levados também”, conta o vaqueiro.

Os funcionários da fazenda foram orientados a deixarem a região porque havia a suspeita de rompimento de uma barragem em Alegre, que também poderia afetar o distrito. “Fomos para Cachoeiro e só retornei na terça-feira, quando as águas baixaram e fui procurar os animais. Como sou conhecido na região, os moradores davam dicas de onde eles tinham sido vistos”, conta o vaqueiro.

Para surpresa dele, as 17 cabeças que tinham se perdido nas águas foram recuperadas. “A última delas encontrei na terça-feira (04) a uns 5 quilômetros da fazenda. Nem acreditei quando vi as 21 juntinhas de novo. Dava muita dó vê o sofrimento delas, naquela hora. Parece um milagre. Voltaram com os pés machucados e as pernas cortadas, mas já foram todas medicadas. Estão bem”, desabafa Luiz Carlos, que relata ter muito carinho pelos animais da fazenda. “Cuido deles há muito tempo”, conta o vaqueiro, registrado no vídeo abaixo pelo bolsista do Incaper,  Pedro Felipe Nery Fosse.

Casa alagada

O resgate do gado aconteceu logo após Luiz Carlos conseguir retirar  sua família de casa, que também foi alagada pela enchente. “Entrou quase um metro de água na minha casa, perdi tudo. Tive que sair com minha esposa e meu filho, que é especial. Fomos para uma área do curral da fazenda, que é mais alta, onde armei uma barraca de camping”, relata.

Lá ele ficou abrigado até segunda, quando mandaram seguir para Cachoeiro, onde foi para a casa de parentes. Foi neste local da fazenda que o amigo, que estava retornando para Pacotuba e que também ficou preso pela enchente, o encontrou. “Ele me ajudou com o gado e ficamos lá no curral, até chegar o aviso de que deveríamos deixar a região”, relata Luiz.

Após 42 anos de trabalho, o vaqueiro pretende se aposentar nos próximos meses. Ainda não sabe como será viver longe dos animais que tanto estima. “Vamos ver como vai ser”, desabafa.

Prejuízos da fazenda

A enchente causou sérios danos para a Fazenda Experimental do Incaper em Bananal do Norte. O local ficou sem abastecimento de água, acesso a telefone, internet e energia elétrica. Todas as atividades da fazenda foram suspensas e ao retornarem ao trabalho, o foco tem sido a limpeza e em restabelecer o abastecimento de água, energia e comunicação.

Segundo o Incaper, houve suspensão dos projetos de pesquisa desenvolvidos no local decorrentes do comprometimento da atividade pecuária, por conta dos danos causados às cercas – dois quilômetros de cercas foram perdidos. Os animais recuperados pelo vaqueiro Luiz Carlos eram usados no curso de inseminação artificial, temporariamente suspenso. Também foi afetado parte do jardim clonal super adensado, uma tecnologia nova lançada pelo Incaper que permite a multiplicação de mudas com menos espaço.

Os experimentos de irrigação também foram afetados, assim como as áreas de plantio de cacau, que ficaram alagadas, com grande volume de lixo por ela espalhado, carreado pelas águas. Também foram tomados pela lama as áreas de plantio de seringueira, a área destinada ao experimento de agricultura sintrópica, os sistemas agroflorestais, além do plantio de palmáceas. Houve ainda perdas na serraria da fazenda de equipamentos e madeira, além de cem sacos de fertilizante e corretivo agrícola.

Fonte: O Gazeta

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com