ILPF: qual o papel do milho em sistemas de integração?

PARTILHAR
ILPF-mostra-se-superior-em-todos-os-sistemas-e-cenarios
Foto: Embrapa

Hoje vamos falar sobre o sistema ILPF e o papel do milho nesses sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta. Confira abaixo na matéria!

A integração entre áreas é uma realidade cada vez mais constante em diversos segmentos e o agronegócio também acompanha essa nova realidade. Apesar de existir desde a década de 1980, a integração lavoura-pecuária-floresta ganhou notoriedade nos últimos anos e avançou muito, especialmente quando envolvemos a cadeia de produção no circuito. Hoje vamos falar sobre o sistema ILPF e o papel do milho nesses sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta.

Afinal, o que é o ILPF criado pela Embrapa?

O sistema de integração lavoura-pecuária-floresta, ou simplesmente ILPF, é fruto de pesquisas desenvolvidas pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) desde a década de 1980 e, atualmente, conta com mais de 20 unidades da empresa desenvolvendo algum tipo de atividade de pesquisa e transferência de tecnologia no tema.

A ILPF é uma estratégia de produção que vem em crescimento nos últimos anos. A técnica utiliza diversos sistemas de produção em uma mesma área, assim, otimiza espaço e aumenta as possibilidades de produção, uma vez que integra a lavoura, pecuária e floresta. Um exemplo de sistema ILPF é uma área de produção de milho, eucaliptos e gado de leite. A seguir vamos entender um pouco mais sobre o tema e as possibilidades.

Estratégias e benefícios da integração lavoura-pecuária-floresta

A integração lavoura-pecuária-floresta tem como seus principais objetivos a otimização do uso do solo e aumentar a produtividade. As estratégias de produção podem ser por consórcio, rotação de culturas ou cultivo de sucessão.

Entre os benefícios podemos citar o aumento de renda, diversificação de produção, redução na abertura de novas áreas para produção agropecuária e diminuição de gases do efeito estufa. Veja abaixo outros benefícios da ILPF:

O papel do milho na integração lavoura-pecuária e floresta

O milho é uma parte importante para o desenvolvimento sustentável do sistema ILPF. Por se tratar de uma cultura anual e com safras bem definidas, o milho tem trazido boa lucratividade aos produtores e se tornado uma opção bastante recomendada para o ILPF.

Estudos têm mostrado que, em condições adequadas, a cultura do milho no sistema ILPF tem o mesmo potencial produtivo que o sistema tradicional.  Além disso, o milho é um dos principais grãos utilizados para a produção animal, podendo inclusive ser um insumo importante dentro dos sistemas integrados.

Consórcio de milho e outras culturas no sistema ILPF

Como falamos, o milho vem se destacando quando o assunto é esse tipo de sistema. Além de ser opção para a nutrição animal, outra vantagem do cereal é a sua versatilidade e possibilidade de ser associado a muitas culturas.

A seguir vamos ver alguns exemplos de sucesso envolvendo o milho no sistema ILPF e outras culturas:

  • Capim
  • Gado de leite
  • Gado de corte
  • Eucalipto
  • Braquiária
  • Sorgo

As opções são diversas e variam de acordo com as condições da região que recebe o sistema integrado lavoura-pecuária-floresta.

Crescimento do sistema no Brasil nos últimos anos

Entre 2005 e 2018, o crescimento nas áreas com adoção do sistema ILPF foi superior em oito vezes, atingindo 15 milhões de hectares. Desses 15 milhões, 10 milhões foram alcançados em 10 anos: de 2008 a 2018, e a estimativa é que o potencial para áreas de ILPF no Brasil seja de 30 milhões de hectares.

Impacto ambiental do ILPF: milhões de toneladas de CO2 não lançadas no efeito estufa

O sistema de integração lavoura-pecuária-floresta fez parte do Plano ABC (política de descarbonização no setor agropecuário), em 2009, e foi estabelecida uma meta para o sistema.

O objetivo era de expandir em 4 milhões de hectares as áreas de ILPF no Brasil até o ano de 2020. Em 2018, o valor registrado já era cerca de 5 milhões de hectares superior à meta estabelecida – o que contribuiu para o sequestro de 21,8 milhões de toneladas de CO2 equivalente. Além da diversificação dos cultivos, o sistema se mostra uma ótima alternativa no sequestro de gases.

Fonte: Somos Milhoes

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com