Importar gado vai resolver falta de boi gordo no Brasil?

Importar gado vai resolver falta de boi gordo no Brasil?

PARTILHAR
Importar gado vai resolver falta de boi gordo no Brasil?
Foto: Fazenda Uberaba

Importar bois do Paraguai aliviaria a falta de oferta brasileira? A Lygia Pimentel, diretora executiva da Agrifatto responde a analisa impactos

A falta de disponibilidade de gado para abate em Mato Grosso do Sul, mas refletida em outros estados também, já está deixando as escalas da indústria bastante apertadas e podem ser sentida com a paralisação de algumas plantas frigoríficas.

Com esse cenário nada favorável representantes da indústria pediram autorização ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para importar animais do Paraguai – “Todos os frigoríficos estão com escala abaixo, com ociosidade muito grande, alguns até paralisando suas atividades em função da baixa disponibilidade de bois. Não é só a questão do preço” – secretário da Semagro), Jaime Verruck.

No Mato Grosso do Sul, as indústrias abatem aproximadamente 4 milhões de cabeças por ano, com tendência de leves altas nos últimos 10 anos, e encerra “se olharmos para a última década, o abate de animais aumento entre 10 e 12%.

O site de notícias paraguaio Valor Agro entrevistou José Pádua, membro da FAMASUL, e ele foi enfático em dizer que a importação dos animais vivos, vindos do país vizinho, “é uma questão muito complexa e que nos deixa preocupados” pois “afeta diretamente os pecuaristas sul-mato-grossenses. Ano passado, quando houveram negociações entre os países, a indústria frigorífica quiz abaixar o preço pago pela arroba entre R$ 5 e R$ 10. O impacto foi impressionante e o desconforto devido à possível entrada de gado rapidamente se manifestou”.

Um ano de abate paraguaio não supre nem mesmo um mês de abate brasileiro e quando consideramos apenas o abate sul-matogrossense, nem metade da necessidade estadual. Assim, o impacto seria bastante limitado, pelos seguintes motivos:

Para responder essas perguntas, nós consultamos a especialista em mercado Lygia Pimentel, diretora executiva da Agrifatto que nos forneceu as seguintes informações:

  1. Custos logísticos e de importação;
  2. Oferta limitada no PY frente à necessidade local;
  3. Pressão sobre as cotações por lá, o que equilibraria os preços PY e BR em pouco tempo, inviabilizando a operação.
Fonte: Agrifatto
comparacao de abates no brasil vs paraguai
Fonte: Agrifatto

A quantidade de animais abatidos no Paraguai é insignificante comparando com a indústria da carne brasileira. E você o que achou da idéia de importar animais vivos para o abate?

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.