Integração lavoura-pecuária: Presente e futuro do Brasil

Integração lavoura-pecuária: Presente e futuro do Brasil

PARTILHAR
sistema ilpf com gado nelore
Integração Lavoura-Pecuára-Floresta, Fazenda Santa Brigida, Ipamerí -GO – William Marchió

Técnica alia produtividade, aumento de rentabilidade e sustentabilidade ambiental para a atividade agropecuária, afirmação é da CNA e Embrapa.

Brasília (06/11/2019) – A CNA e a Embrapa promoveram na terça (5), na sede da Confederação, um encontro com pesquisadores e técnicos para apresentação do Estudo “Ciência e Políticas para ampliar a adoção de sistemas integrados de produção lavoura-pecuária na agricultura brasileira”.

“É uma técnica que consegue aliar produtividade, aumento de rentabilidade e sustentabilidade ambiental para a atividade agropecuária”, afirmou Muni Lourenço, presidente da Comissão Nacional de Meio Ambiente da CNA.

Elaborado pela professora assistente do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (ETH), Rachel Garrett, em parceria com a Embrapa e o Centro de Pesquisa Agroflorestal do Acre, o foco do estudo é informar órgãos governamentais e do setor privado sobre os principais problemas e mudanças necessárias para viabilizar a adoção da ILP.

“O sistema de integração lavoura-pecuária-floresta tem evoluído de forma vertiginosa no Brasil. Nos últimos 10 anos saltamos de 7 milhões para mais de 15 milhões de hectares. Esse é um caminho sem volta, mesmo porque o mundo precisa e nos cobra uma agricultura cada vez mais eficiente e resiliente”, afirmou Cléber Soares, diretor-executivo de Inovação e Tecnologia da Embrapa.

O estudo ouviu 31 produtores rurais e 33 especialistas nos estados do Pará, Acre, Rondônia e Mato Grosso sobre as percepções dos benefícios da ILP e das barreiras para adotar a técnica.

Os principais benefícios são aumento da competitividade, da produtividade e da renda do produtor. E as barreiras à adoção são custos iniciais elevados e dificuldade de acesso ao crédito rural, além de falta de informações técnicas e mão-de-obra qualificada.

“Além de uma análise técnica, o estudo apresenta conclusões de ações importantes no campo político e de políticas públicas que podem melhorar o ambiente para que esse sistema seja adotado por uma quantidade ainda maior de produtores. Aí é onde se insere o Sistema CNA/Senar, contribuindo também com capacitação e assistência técnica de produtores e técnicos”, ressaltou Lourenço.

Via CNA

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com