IPC 2022: projeção continua em 9%, mas pode cair com desonerações

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Índice de Preços ao Consumidor de junho começa a mostrar os primeiros impactos das desonerações de ICMS e de tributos federais sobre combustíveis

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de junho começa a mostrar os primeiros impactos das desonerações de ICMS e de tributos federais sobre combustíveis, diz o coordenador do índice na Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), Guilherme Moreira. O economista reiterou a projeção de inflação de 9% em 2022, mas reconhece a chance de uma taxa menor no ano.

“Eu tenho falado o ano inteiro que a projeção é 9%, mas que pode subir no mês que vem. Agora, acho que há grande chance de ficar perto disso”, diz Moreira.

“Vamos esperar mais um pouco por causa dessas desonerações, mas realmente pode ser que essa projeção caia um pouco.”

O IPC-Fipe desacelerou de 0,42% em maio para 0,28% em junho, abaixo da mediana da pesquisa Projeções Broadcast, de 0,34%, e na menor taxa mensal para o índice desde fevereiro de 2021 (0,23%). Nesta divulgação, o principal vetor de baixa partiu da deflação de energia elétrica (-9,22%), com impacto negativo de 0,34 ponto percentual sobre a inflação.

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com