Mãe vegana é condenada por matar bebê com dieta rigorosa

PARTILHAR
Foto: Divulgação

Mulher vegana é condenada por morte de filho: “Eles o mataram de fome por 18 meses”; criança morreu por desnutrição, de acordo com as fontes policiais

A Justiça americana condenou uma mulher vegana do estado da Flórida que submeteu o filho de 1 ano e meio a uma dieta rigorosa e acabou matando a criança, juntamente com o marido. Sheila O’Leary e o marido Ryan foram presos em 2019 e desde então vem sendo investigados pela morte do garoto, que decidiu indiciá-los por homicídio.

De acordo com a polícia, Sheila é vegana e disse que criou seus quatro filhos com uma alimentação bastante rígida, a mesma dada à criança que morreu, que consistia basicamente em mangas, bananas e abacates.

Mas, segundo a polícia, essa dieta rígida foi a causa da morte da criança em Cape Coral, na Flórida. A polícia disse que desde o início das investigação ficou evidente que o bebê foi vítima de negligência dos pais, já que com um ano e meio pesava apenas sete quilos, o peso aproximado de uma criança de apenas sete meses. A polícia disse nos autos que o menino não comia que a ação do casal foi totalmente deliberada. “Eles o mataram de fome por 18 meses”, disse a autoridade que investiga o caso.

Sheila e o marido enfrentam acusações de “assassinato em primeiro grau, abuso infantil agravado, homicídio agravado, abuso infantil e duas acusações de negligência infantil”, o que pode significar para os dois penas extremamente severas, segundo as leis norte-americanas.

Um novo estudo confirma que o consumo insuficiente de carne bovina (porco, aves e peixes também) durante a gravidez pode ter consequências neurológicas negativas para o feto. A nutrição adequada durante a gravidez é muito importante para a saúde do feto e do recém-nascido. É por isso que o consumo regular de todos os alimentos, especialmente frutas, vegetais e carne, é vital para um fornecimento adequado de nutrientes essenciais nesta fase crítica.

Opinião de especialista

Consultada, a nutricionista, influenciadora e embaixadora da dieta carnívora, Jade Soller emitiu sua opinião. “Que fiquem à vontade, os adultos “herbívoros” para comer aquilo que se lhes apetece. Mas, por favor, poupemos os bebês e crianças desse tipo de alimentação. Grama por grama, cortes gordurosos de carnes bem abastecidas contêm muito mais nutrientes do que grãos, legumes e frutas. Suas proteínas, gorduras e ferro também são mais biodisponíveis, então o corpo de seu filho pode usar os nutrientes de forma mais eficaz.”

E finaliza – “Caso você não esteja convencido, pense assim: o leite materno é gordura e proteína animal, portanto outras gorduras e proteínas animais são os primeiros alimentos sólidos ideais. O ferro heme é o mais fácil para o seu corpo absorver. É exatamente por isso que você pode começar a oferecer carne de bebê como um de seus primeiros alimentos. Além disso, a carne vermelha também possui zinco, vitamina B12, gorduras e, claro, muita proteína. A carne é o primeiro alimento ideal e continua sendo nosso principal alimento por toda a vida!”

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.