Magazine Luiza abre crédito de R$ 300 mil para drones agrícolas

PARTILHAR
Drones na Agricultura
Foto: Reprodução

As cartas de crédito para a compra dos drones vão de R$ 120 mil a R$ 300 mil reais, com parcelas a partir de R$ 951,47 e prazos de 120 a 150 meses.

Depois de acelerar as operações de financiamento de máquinas agrícolas, o Magazine Luiza acaba de criar um produto de crédito para a compra de drones utilizados nas lavouras. A novidade reforça a atuação no agro de uma das maiores redes de varejo do país.

Os equipamentos poderão ser comprados com cartas de crédito do Consórcio Magalu, em um modelo similar ao que já é adotado no financiamento de tratores, caminhões, colheitadeiras e semeadeiras. As cartas de crédito para a compra dos drones vão de R$ 120 mil a R$ 300 mil reais, com parcelas a partir de R$ 951,47 e prazos de 120 a 150 meses.

Com os bons resultados do agronegócio nos últimos anos, o setor é uma das principais apostas da varejista para 2021, diz Angélica Urban, gerente executiva de produtos do Consórcio Magalu.

“Acreditamos no potencial do agronegócio brasileiro e queremos ser referência em crédito para financiar o setor”, disse ela, em nota. Em 2020, o segmento agrícola do Consórcio Magalu cresceu 152% em relação ao ano anterior.

Uso de drones na agricultura

A palavra drone possui origem inglesa e traduzindo significa “zangão”. Esse nome foi dado às famosas pequenas aeronaves que a cada dia mais têm ganhado espaço no cenário mundial.

Essa tecnologia que antes era utilizada somente para fins militares, atualmente é aplicada em diversos segmentos da cadeia produtiva e até mesmo utilizada para fins pessoais e para entretenimento. As pequenas aeronaves que recebem o nome de drones nada mais são do que Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT), proveniente do inglês Unmanned Aerial Vehicle (UAV).

Para entender o que é um drone ou VANT, a melhor associação que pode ser feita são os antigos carrinhos de controle remoto. As pequenas aeronaves não tripuladas funcionam de acordo com o mesmo princípio dos brinquedos, elas são controladas através de um controle remoto que envia os comandos para a aeronave por meio de ondas de rádio.

Desta forma, os drones não possuem um “piloto”, mas sim uma pessoa controlando-o de forma remota.

Essas aeronaves não tripuladas surgiram na década de 60 quando a marinha dos Estados Unidos verificou a necessidade de observar e monitorar os inimigos sem colocar seus soldados em risco.

Durante muitos anos o governo americano afirmou não utilizar esse tipo de tecnologia, quando em 1973 admitiu utilizar VANTs nos campos de batalha.

Inicialmente os drones utilizavam câmeras para gravação e reconhecimento de território, atualmente são equipados com armas e sensores de alta precisão tendo seu uso difundido nas mais diversas áreas.

Existe diferença entre drones e VANTs?

Basicamente ambos os nomes se referem à mesma tecnologia, ou seja, as pequenas aeronaves não tripuladas. Mas de acordo com a legislação brasileira, drones e VANTs são classificados de maneiras distintas. Para entender melhor, veja a seguir:

Drones

São classificados como aeromodelos. São as aeronaves utilizadas em competições ou para entretenimento.

Os drones são considerados aeronaves de intuito totalmente recreativo, desta forma são considerados pela legislação simplesmente como aeromodelos. Drones não possuem nenhuma restrição para compra e não carece que o usuário porte nenhum tipo de licença ou autorização.

VANTs

Tecnicamente os VANTs são a mesma coisa que os drones, não possuindo diferenças e seguindo os mesmos princípios, diferindo somente na aplicação. Veículo Aéreo Não Tripulado é aquele destinado ao uso comercial, ou para uso em pesquisas e experimentos.

Além disso, para ser considerado um VANT é necessário que a aeronave possua alguma carga útil embarcada, como: câmeras, sensores ou até mesmo algum produto, como por exemplo, uma carta ou encomenda.

Tipos de drones

Assim como as aeronaves que possuem diferentes tipos (aviões e helicópteros), os drones também são divididos em categorias distintas. Os VANTs podem ser classificados em: multi-rotor e asa fixa.

Multi-rotor

Os drones multi-rotor são os modelos mais famosos, destaque para os quadricópteros que é tipo de VANT mais conhecido e utilizado em todo o mundo. Essas pequenas aeronaves utilizam o mesmo princípio de voo dos helicópteros, através de asas móveis, chamadas de rotores, que possuem elevadas rotações por minuto (RPM) que possibilitam que o drone possa voar.

Esse modelo é o mais acessível e possui uma série de limitações. Os drones multi-rotor possuem limitações de velocidade, resistência e autonomia. Por isso, não podem ser utilizados para monitoramento de grandes áreas e atividades que carecem percorrer grandes distâncias.

Por outro lado, os drones de multi-rotor são mais fáceis de serem controlados, podem ficar estáticos no ar e tirar fotos e filmar pontos fixos ou áreas menores.

Os drones multi-rotor tem sido bastante utilizados para a produção de filmes, fotos aéreas e são os modelos utilizados pelo público para entretenimento. As baterias mais modernas permitem ao modelo uma autonomia de 20 a 30 minutos.

Asa fixa

Os drones de asa fixa são totalmente diferentes do modelo de multi-rotor, sendo muito parecidos com aviões. Eles geralmente possuem a asa em delta que cria a sustentação para o voo e um motor tipo hélice na parte traseira que o impulsiona o modelo para frente. Pelo fato dos drones de asa fixa precisarem de energia somente para impulsioná-los para frente e não para segurá-los no ar — como no caso do modelo de multi-rotor — são muito mais eficientes.

Esse modelo consegue cobrir grandes distâncias, áreas amplas e monitorar diversos pontos de interesse. Por possuírem grande eficiência, podem utilizar tanto motores elétricos como motores de combustão — como no caso de aeronaves de grande porte e principalmente de uso militar.

Os drones de asa fixa possuem uma autonomia consideravelmente maior quando comparado com o modelo de multi-rotor, existindo modelos que podem permanecer em operação de 40 minutos até incríveis 16 horas.

O modelo de asa fixa é amplamente utilizado em operações militares, sendo inclusive mostrado em diversos filmes. Nos últimos anos esse modelo tem ganhado muito destaque pelo seu uso na agricultura, vigilância de grandes áreas e no setor florestal. Através do uso de sensores e câmeras de alta resolução, os drones de asa fixa têm possibilitado grandes avanços em diversas áreas.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com