Mercado agitado para soja nessa semana, confira!

Mercado agitado para soja nessa semana, confira!

PARTILHAR
Foto: Pixabay

Além dos impactos já precificados do coronavírus, mercado está atento ao plantio da nova safra, clima nos Estados Unidos e mais dois fatores que podem mudar os rumos dos preços.

O mercado de soja permanece com as atenções divididas nesta próxima semana afirma a consultoria Safras & Mercado. Ainda permanece como pano de fundo, a evolução da pandemia de coronavírus e seu impactos socioeconômicos ao redor do mundo.

Pelo lado fundamental, os players acompanham o plantio da nova safra norte-americana e o clima para o desenvolvimento das lavouras, além de analisar com atenção os movimentos da demanda chinesa no mercado internacional em meio às tensões entre Estados Unidos e China. O relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) de junho fecha o quadro de fatores para a semana.

Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de soja na semana que vem. As dicas são do analista da Safras Consultoria, Luiz Fernando Gutierrez.

  • Os mercados mundiais começam a trabalhar com um maior otimismo frente ao aparente controle da pandemia nas principais economias mundiais e melhores dados econômicos, com destaque para os EUA. O sentimento de que “o pior já passou” aumenta, e o avanço dos estudos para a validação de uma vacina traz esperança para os próximos meses. Tais fatos trazem maior tranquilidade, retirando um pouco o peso “financeiro” sobre o mercado de soja em Chicago;
  • Os fatores fundamentais de oferta e demanda voltam a ganhar força na soja. A boa evolução do plantio da nova safra dos EUA é um fator que impede grandes valorizações em Chicago. O clima tem sido positivo para o desenvolvimento inicial das lavouras, com apenas 4% delas estando em estado ruim ou muito ruim, índice considerado baixo. O panorama inicial da nova safra norte-americana é bastante favorável e, no momento, as previsões climáticas apontam para um clima regular nos próximos meses;
  • No lado da demanda, os olhos do mercado permanecem centralizados nas tensões comerciais entre EUA e China e na demanda chinesa pela soja norte-americana. Recentes rumores de cancelamentos ou suspensões de compras chinesas de soja dos EUA não foram oficialmente confirmados, e novas vendas foram anunciadas nos últimos dias. Tal fato trouxe fôlego para os contratos futuros em Chicago. A manutenção deste fôlego depende da continuidade dos anúncios ou de notícias positivas sobre as tensões entre os países;
  • No Brasil, a melhora no humor do mercado financeiro e menores polêmicas internas envolvendo a política trouxeram uma forte desvalorização ao dólar, o que levou a ajustes negativos nos preços internos. Apesar disso, os prêmios de exportação continuam subindo, servindo de suporte para as cotações;
  • O USDA não deve trazer grandes novidades em seu relatório de junho, mas atenção para possíveis mudanças nas estimativas de exportação e estoques finais EUA para a temporada atual (2019/20).

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com