Milho: com oferta cada vez maior preço despenca, veja

Milho: com oferta cada vez maior preço despenca, veja

PARTILHAR
Encarecimento acentuado dos grãos preocupa indústria da carne
Foto: Divulgação

Apesar da entrada de milho no mercado brasileiro, o país ainda deve enfrentar dificuldades no abastecimento em 2021, destaca analista.

No decorrer da primeira semana de dezembro foi evidenciado avanço da oferta em diversos estados no mercado de milho, o que leva a queda nas cotações. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, esse movimento já era aguardado de acordo com a necessidade de liberar espaço para a safra nova que se avizinha.

“No entanto, essa situação não altera as dificuldades de abastecimento que devem marcar o primeiro semestre de 2021, considerando uma oferta restrita de milho em grande parte do país”, adverte Iglesias.

No Porto de Santos, o preço da saca de milho ficou em R$ 72/78. No Porto de Paranaguá (PR), o valor chegou a R$ 71/78 a saca.

No Paraná, a cotação ficou em R$ 75/76 a saca em Cascavel. Em São Paulo, a saca foi negociada a R$ 72/74 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço foi de R$ 74/76 a saca.

No Rio Grande do Sul, o preço ficou em R$ 84/86 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, o valor ficou em R$ 70/72 a saca em Uberlândia. Em Goiás, o preço esteve em R$ 70 – R$ 72 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, a saca foi negociada a R$ 64/67 a saca em Rondonópolis.

Em um dia que o dólar resolveu se estabilizar na casa dos R$ 5,25, o milho continuou sua descida, com a referência para negócios atingindo os R$ 77,00/sc em São Paulo. A pressão que a ponta compradora está impondo sobre o mercado tem sido a principal justificativa para a desvalorização do milho. Na B3, o contrato para março/21 recuou pelo quarto dia consecutivo, atingindo os R$ 74,43/sc, menor valor desde 16/10/2020.

Em Chicago, o dia começou no negativo com o contrato para março/21 chegando a recuar 1,49% durante a manhã, pressionado pela melhora do clima na américa do sul. No entanto, com a notícia de que a China poderia comprar ainda mais milho norte-americano os preços mudaram de curso, e o contrato de milho na CBOT fechou o dia com alta de 0,71%, cotado a US$ 4,24/bu.

Com informações da Agrifatto e Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com