Preço da carne “assusta” população, e o churrasco?

Preço da carne “assusta” população, e o churrasco?

PARTILHAR
(Foto: Divulgação)

Depois de altas consecutivas e recorde no preço da arroba, os preços da carne no atacado começam a recuar. E agora, vai ter churrasco de fim de ano?

O consumidor brasileiro viu os preços da carne bovina nas gôndolas subirem de forma significativa no ano de 2020, assim como os preços da arroba que atingiram recordes de preços, com valores batendo R$ 300,00/@ nas praças paulistas em novembro. Mas, um novo movimento pode trazer um alento para quem quer garantir o churrasco de fim de ano. Confira!

Carne de 2ª custa o mesmo que a de 1ª custava dois anos atrás
A análise dos dados também revela que os cortes dianteiros, considerados carnes de segunda qualidade, estavam com o preço do quilo na faixa dos R$ 22 em outubro, o mesmo valor que os cortes traseiros, considerados nobres, tinham em outubro de 2018.

O preço da carne bovina tem registrado recuo no atacado acompanhando o movimento de desvalorização da arroba do boi gordo. Atualmente, a carcaça bovina está cotada a R$ 17,55/kg, frente ao valor de R$ 18,50/kg em outubro, segundo os dados divulgados pela Agrobrazil. Mas o consumidor ainda não viu essa queda de preço nas prateleiras, ela deve chegar?

Quando olhamos para trás, de forma comparativa, os preços em janeiro deste ano estavam cotados a R$ 12,50, sendo que o fechamento de novembro apresentou valores de R$ 17,55 para o Boi Casado nas praças paulistas.

Preços no açougue

Conforme dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o preço da carne bovina subiu 52,21% em um ano em Mato Grosso do Sul. 

Pesquisa aponta que o quilo dos cortes bovinos varia de R$ 19,50 a R$ 87,98. A tendência é de que, apesar dos recuos observados, os preços continuem altos pelos próximos meses.

Entre os preços repassados ao consumidor a variação é grande entre os locais visitados. O quilo de músculo foi de R$ 26,80 a R$ 34,98 nesta terça-feira; no ano passado, o quilo do corte ia de R$19,80 a R$22,20. O patinho ficou entre R$ 32,89 e R$ 40,98 este ano e em novembro de 2019 os preços iam de R$ 27,90 a R$ 31,98.  

O quilo da ponta de peito era comercializado entre R$ 20,90 e R$ 24,40 há um ano. Agora, custa entre R$ 29,80 e R$ 39,98. O contrafilé é comercializado entre R$ 38,80 e R$ 42,98 (no ano passado, variava de R$ 29,80 a R$ 35,90). E o coxão duro estava cotado entre R$ 25,90 e R$ 31,99 em 2019 e neste ano custa entre R$ 31,98 e R$ 39,98.

O aposentado Ramiro Gimenes diz que até mesmo cortes mais baratos estão muito caros. “A costela e a agulha, que eram cortes mais baratos, hoje estão acima de R$ 20. A alcatra passa de R$ 40, a gente não pode mais comer carne boa hoje em dia, está difícil”, lamenta.

Picanha

A carne bovina aumentou, em 2020, mais de 50% em um ano e picanha vai a R$ 88 na Capital. Os preços do corte mais querido nos churrascos tem seu preço elevado nas gôndolas dos supermercados e deve impactar no consumo de final de ano.

O quilo mais barato foi o da costela, que varia entre R$ 19,50 em uma casa de carnes e R$ 23,98 em outra. Já o corte mais caro é a picanha, que é comercializada entre R$ 49,90 e R$ 87,98. Ainda entre os mais caros, o filé-mignon varia de R$ 46,90 a R$ 82,98.

Segundo a consultoria Agrifatto, o início do mês de dezembro traz esperanças para o atacadista, “visto que o recebimento de salários e décimo terceiro pode auxiliar no fluxo de saída da carne bovina, dando um respiro para as cotações da carcaça casada”.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.