Nelore Superprecoce produz sêmen aos 13 meses

Nelore Superprecoce produz sêmen aos 13 meses

touro-nelore-rem-exibido
Touro REM Exibido / Foto: Genética Aditiva

Touro é fruto de trabalho de 20 anos focado em precocidade do Nelore, a empresa Genética Aditiva vem trabalhando a raça que até então não era precoce

O animal da foto é REM Exibido, filho de Armador x Ricket (outro touro superprecoce), produziu sêmen aos 13 meses de idade. Touro que teve cota comercializada no último Mega Leilão da Genética Aditiva e comprada pelo pecuarista goiano Jovanildo Bertolino está sendo comercialzado pela Semex no valor de R$ 22,00/dose. Touro equilibrado e com deps muito bem balanceadas em todas as características avaliadas, TOP para AOL (rendimento de carcaça) e EGS (acabamento).

dados-do-touro-rem-exibido
Genealogia do REM Exibido / Fonte: Semex

Sobre a Genética Aditiva

Com mais de 30 anos de seleção, três fazendas localizadas em Mato Grosso do Sul e aproximadamente 2,2 mil matrizes nelore, a Genética Aditiva é uma das mais tradicionais criadoras de Nelore. Desde o início da criação vem desafiando o rebanho Nelore a dar resultados de grande valor econômico.

Só em 2016, por exemplo, foram vendidas 266 mil doses de sêmen, o que representa 8% do mercado da raça.

REM Espião 007

Outro touro que produziu sêmen aos 9 meses de idade extremamente precoce foi REM Espião 007, antes de completar 24 meses, Espião terá filhos nascidos na fazenda. Animal teve cota de 33% adquirida por R$ 315 mil pelo criador da Bolívia, Miguel José Mucarzel. ESPIÃO entrou no leilão contratado pela Alta Genetics e com mais de 5 mil doses já comercializadas. O lance de Mucarzel valorizou o touro em quase 1 MIHÃO DE REAIS.

O REM ESPIÃO é o protótipo do Nelore que estamos perseguindo. Animal super-precoce, filho de mãe super-precoce e que produziu sêmen com nada menos que 9 meses. Ele é uma vitória da ciência.”, ressalta Eduardo Coelho, proprietário da Genética Aditiva.

Precocidade do gado Nelore é marca da Genética Aditiva

Novilhas de 14 meses com 81% de prenhez no IATF