O que deve acontecer no mercado da soja? Veja

O que deve acontecer no mercado da soja? Veja

PARTILHAR
soja no tocantins
Foto: Divulgação

O mercado está de olho no avanço da colheita nos EUA e as possíveis dificuldades do plantio no Brasil; Além da cotação do dólar, confira a análise.

Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de soja na semana que vem. As dicas são do analista da Safras Consultoria, Luiz Fernando Roque:

  • O mercado de soja mantém as atenções divididas entre o clima para o avanço da colheita da nova safra norte-americana e sinais de demanda chinesa pela soja dos Estados Unidos. Paralelamente, o clima para a evolução do plantio no  Brasil começa a ganhar peso como fator. Na próxima semana, os players também  irão se posicionar diante do relatório do Departamento de Agricultura dos  Estados Unidos (USDA) de outubro, que será divulgado no dia 9;
  • A colheita da nova safra norte-americana vem avançando em ritmo forte nos principais estados do cinturão produtor. O clima pouco úmido registrado nas últimas duas semanas foi favorável para o avanço das máquinas, que já atingiam 20% da área total esperada no dia 20 de setembro, percentual acima da média normal (15%). Essa boa evolução dos trabalhos foi um dos fatores que levaram a correções negativas em Chicago após os contratos futuros atingirem os maiores patamares em mais de 2 anos;
  • O segundo fator foi a recente diminuição das compras de soja norte-americana por parte da China. Após vários dias consecutivos de anúncios, nesta última semana, poucas vendas novas foram anunciadas, o que também ajudou os fundos a realizarem lucros em Chicago. Apesar disso, o sentimento com relação à demanda chinesa pela soja dos EUA continua positivo, visto que o Brasil não tem mais soja a oferecer aos asiáticos até a entrada da próxima safra;
  • No Brasil, os trabalhos de plantio começaram em ritmo lento devido à baixa umidade registrada na faixa central do país nos últimos dias. Apenas o Paraná recebeu umidade relevante para o avanço da semeadura. Os atrasos iniciais ainda são totalmente contornáveis, mas o mercado vai ficar cada vez mais atento ao clima por aqui;
  • Após o USDA indicar estoques trimestrais abaixo do esperado pelo mercado no último dia 30, os players esperam por novos cortes no relatório de oferta e demanda do próximo dia 9, tanto para a temporada 2019/20 quanto para a 2020/21. O recente corte nos estoques é fator positivo para Chicago.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com