Oferta de leite no campo tende a melhorar no segundo semestre

PARTILHAR
Fonte: Leite

Houve uma melhora na relação de troca dos preços do milho com relação ao outros produtos, dentre eles a arroba do boi e os preços do leite.

O Décimo terceiro Fórum MilkPoint Mercado continua a topo vapor, trazendo palestras com temas de grande relevância para a cadeia láctea!

No segundo bloco de discussão, realizado ontem 02/08, no Centro de Convenções de Goiânia, foram abordadas as perspectivas do mercado de soja e milho para o segundo semestre de 2022 e início de 2023, cenário do mercado lácteo nacional e a volatilidade dos preços dos lácteos no mundo.

Iniciamos o segundo bloco com Fábio Meneghin, fundador da Veeries, abordando as perspectivas do mercado de grãos. Segundo Fábio, houve uma melhora na relação de troca dos preços do milho com relação ao outros produtos, dentre eles a arroba do boi e os preços do leite. “A relação de troca entre o leite e o milho apresentou melhora. Antes em média eram necessários 45 litros de leite para comprar um saco de milho, agora necessita-se 30 litros de leite para comprar o mesmo saco.”

Para safra 22/23, dos Estados Unidos, problemas climáticos tiram a perspectiva de safra recorde do radar. Americanos tendem à exportar menos nesta safra, e com estoques em níveis baixos, gerando um suporte em Chicago e oportunidades para a produção brasileira. Com relação aos custos de produção, que apresentaram altas na última safra, a tendência é de novas variações positivas, podendo afetar a rentabilidade dos produtores de grãos.

Valter Galan, Sócio no MilkPoint Mercado, abordou o cenário para o mercado de leite. Para Valter, “olhando para a disponibilidade, nós começamos o ano com pouquíssimo leite, e esse gap pode cair no segundo semestre. Tendemos a ter mais leite no segundo semestre, o que é importante para olhar o mercado daqui para frente”, referindo-se a possível melhora na rentabilidade e aumento nas importações. Neste momento, temos aumentos nos preços ao produtor, pelo menos até agosto.

Para complementar o ciclo de palestras, tivemos Scott Briggs, da Bridge Cape, abordando a volatilidade dos preços dos lácteos no mundo. Para Scott, esta volatilidade esta relacionada à diminuição do sistema produtivo a pasto e o aumento de um sistema de produção com alimentação via grãos.

“Queria focar em uma causa fundamental, que já criou volatilidade nos últimos cinco anos, e que irá continuar a causar nos próximos cinco. Estamos mudando os custos de produção nos lácteos. Grande parte do crescimento do leite veio por meio do sistema de produção a pasto, e desde 2015 o cenário mudou, com o mercado de leite internacional elevando a produção de leite com vacas alimentadas por grãos, o que está refletindo em uma grande volatilidade nos preços dos lácteos.”

Fonte: MilkPoint

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com