Onde está o bezerro mais caro do Brasil?

PARTILHAR
Foto: L. M Nieto / @lmnieto

Bezerro: Custo para produção no Brasil é US$ 200/100 kg de carcaça viva; as altas no preço da reposição seguem firme pelo país, confira onde está o bezerro mais caro do Brasil!

O preço do bezerro tem caminhado por um cenário de grande “celebração” para as fazendas de cria, entretanto o que é bom para uns pode não ser para outros. Os produtores que trabalham com a recria-engorda precisam estar atentos aos preços da reposição, de forma a garantir a margem de lucro no final do ciclo desse animal. O problema não é o preço da reposição, mas sim o valor de venda dessa arroba estocada agora. Afinal, onde está o bezerro mais caro do Brasil?

Conforme Thiago Bernardino de Carvalho, pesquisador da entidade, a alta do bezerro foi influenciada por uma maior demanda pelo animal e oferta limitada, ocasionada pelo abate de fêmeas no final de agosto de 2019. Além disso, alguns consultores apontam para a maior demanda para a carne bovina brasileira, trazendo maior otimismo para o mercado do boi gordo.

“Para o mercado de bezerro, devido a baixa oferta registrada em 2019, este é sim um ano de preços firmes. Esse ano é o ano da reposição, a expectativa é que o mercado em 2020 e 2021 tenha bons preços”, comenta Thiago.

Segundo os dados da Scot Consultoria, o preço do bezerro de 6@ ou 180 kg, pelo país está em um patamar de R$ 2000 por cabeça. Lembrando que essa média é para o estado de São Paulo e um animal macho nelore. Os preços podem divergir quanto a animais cruzados e ou outras raças.  

Preço do bezerro pelo Brasil

Em RO, na cidade de Jaru, pecuaristas estão vendendo os bezerros com uma arroba cotada em R$ 240, para animais de peso médio de 265 kg, para pagamento à vista. Esse e outros negócios foram informados no app da Agrobrazil. Já em Querência, no Mato Grosso, temos animais de 12 a 18 meses sendo vendidos por R$ 1900 por cabeça, com pagamento a prazo, conforme imagem abaixo:

Segundo o último levantamento da Scot Consultoria, o mercado do bezerro está da seguinte forma:

  • São Paulo: R$ 2000
  • Minas Gerais: R$ 1520
  • Goiás: R$ 1700
  • Mato Grosso do Sul: R$ 1600
  • Mato Grosso: R$ 1700
  • Rondônia: R$ 1450
  • Tocantins: R$ 1750

Respondendo a pergunta inicial, São Paulo é onde o bezerro está mais caro, mas isso já havia sido anunciado semana passada pelo Cepea e a história ainda não mudou, afinal ele é o estado com maior demanda pela categoria.

O preço médio do bezerro em São Paulo atingiu o maior patamar da série histórica, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Quando comparado ao ano anterior, o preço do animal obteve uma alta de 43,3%, sendo negociado atualmente a R$ 1.900 por cabeça. 

O mercado do boi gordo sofreu alguns entraves com o susto causado pelo coronavírus no país, e no mundo. Com esse mercado andando com mais cautela, devemos ter menos negócios no mercado da reposição durante essa semana que tem iniciado com bastante lentidão nos negócios, demonstrando um mercado seguindo com viés de sustentação e menores ofertas.

Histórico e recordes!

O mercado do boi gordo vem apresentando uma maior estabilidade nos seus preços, assumindo patamares acima de R$ 200 por arroba, na média Brasil. Algumas regiões tem negócios de até R$ 205/@, como divulgado no app da Agrobrazil.

O mercado de reposição não ficou para trás, afinal, não existe boi gordo sem antes se ter bezerro desmamado, valor da arroba foi de R$ 296. Confira!

Um fator que impacta no momento atual é a maior disponibilidade de pasto para os pecuaristas, dando maior conforto para manter a cria e negociar por preços melhores os seus animais.

Custo de produção do bezerro

Segundo dados apresentados na Conferência, o total de custos na Ucrânia para a produção de um bezerro é de aproximadamente US$ 100 a cada 100 kg de carcaça viva, enquanto no Brasil o custo médio das fazendas de cria está por volta de US$ 200/100 kg de carcaça viva.

Ressalta-se que, como a pecuária nacional é bastante heterogênea, algumas fazendas levantadas no Brasil apresentam custos próximos a US$ 100 a cada 100 kg, ao passo que, em outras, os gastos estão acima de US$ 200 – com base em dados de 2018.

Em suma, o que o pecuarista precisa agora é atenção, tanto na cria quanto na recria-engorda, o mercado segue com grande volatilidade nos preços, tanto no físico quanto no futuro, devido a isso é preciso ter cautela nas negociações e buscar informação de qualidade para antecipar possíveis extremos!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com