Parceria vai fomentar nova biotecnologia na cultura da soja

PARTILHAR
Soja agricultura
Foto: Divulgação

São Paulo confirma parceria com empresa para nova biotecnologia de cultura da soja; acordo prevê aplicação de royalties em novas pesquisas

O Vice-Governador, Rodrigo Garcia, e o Secretário de Agricultura e Abastecimento de SP, Itamar Borges, participaram nesta terça-feira (27) do anúncio de uma nova biotecnologia desenvolvida pelo Instituto Biológico (IB-APTA), ligado à Secretaria de Agricultura, e a multinacional canadense Lallemand Plant Care para controle de nematoides de galhas e cisto da soja. Os royalties do produto serão revertidos para novas pesquisas agropecuárias.

“É uma celebração para nos encorajar por tantos outros desafios que temos pela frente. E saibam que o Governo de São Paulo está atento a esses desafios. Dentro de nossas possibilidades e esforço, vamos a cada momento fazer mais investimentos no agro”, afirmou Garcia. “Espero que essas decisões nos façam permanecer na vanguarda do investimento em pesquisa”, acrescentou.

O novo bionematicida chamado LALNIX RESIST é à base de Trichoderma e tem lançamento previsto para o segundo semestre deste ano. Os nematoides são vermes fitoparasitas de solo que podem reduzir em até 20% do potencial produtivo da cultura. “O uso de Trichoderma é uma alternativa natural para combater os nematoides, já que os produtos químicos não conseguem ter alta eficiência nesse combate. Como os nematoides são vermes de solo, o controle é dificultado”, explica Ricardo Harakava, pesquisador do IB.

O contrato de transferência de tecnologia está fundamentado na nova Lei de Inovação (nº10973/2004) e Decreto Estadual nº 62817/17, tendo sido aprovado pelo Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) e assinado pela diretoria-geral do IB, com a interveniência da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag).

“Este é o primeiro licenciamento realizado pelo Instituto Biológico de forma exclusiva, com o amparo legal da Lei de Inovação e Decreto paulista. Foi um grande aprendizado para os pesquisadores envolvidos, empresa, NIT e fundação de apoio. O licenciamento garantirá o ganho de royalties para a Instituição que será revertido para novas pesquisas, o que é muito interessante”, salienta a diretora-geral do IB, Ana Eugênia de Carvalho Campos.

Estado confirma parceria com empresa para nova biotecnologia de cultura da soja
Foto: Divulgação

“A Lallemand é uma empresa com mais de 100 anos de know-how em microrganismos e sempre primou por parcerias com instituições de pesquisas, como o IB, pois entendemos que elas são fundamentais para a evolução e entrega de inovações para o mercado, para o avanço da ciência e a melhoria contínua dos envolvidos. O LALNIX RESIST, fruto dessa parceria, será uma ferramenta de muito valor para o manejo de nematoides, endossando a importância dos biológicos para uma agricultura responsável”, declara Fernando Urban, CEO da Lallemand Plant Care no Brasil.

“Este é mais um marco para a Fundepag, que apoiou o Instituto Biológico através de sua incubadora de conhecimento, a Conexão.f, na aplicação da recente legislação paulista e brasileira de incentivo à inovação. Desta forma, garantimos que a produção de tecnologias pela ciência seja transferida com eficiência e eficácia para a sociedade, agregando valor ao setor produtivo”, afirma Antonio Alvaro Duarte de Oliveira, diretor-presidente da Fundepag.

Parcerias Público-Privadas (PPP’s)

O trabalho realizado em conjunto entre o IB e a Lallemand Plant Care se iniciou em 2013, quando a empresa procurou o Instituto Biológico para selecionar cepas de sua coleção de Trichoderma, que possui mais de 120 isolados, ou seja, linhagens de Trichoderma coletadas em diferentes biomas paulistas.

“Este trabalho se iniciou com a pesquisadora aposentada Cleusa M. M. Lucon, que foi responsável também por coletar esses isolados em 52 locais, com diferentes tipos de vegetação nativa como Mata Atlântica e Cerrado. Ao longo de todos esses anos, realizamos um trabalho em conjunto, até chegarmos neste novo produto”, explica Harakava, atualmente líder do projeto.

O diferencial da coleção de Trichoderma do IB é que os isolados passaram por testes para verificar se de fato promovem controle de doenças e se agem no crescimento das plantas, além de terem sido submetidos à identificação molecular por sequenciamento de DNA.

O que é Trichoderma?

Fungos do gênero Trichoderma apresentam crescimento rápido e podem ser utilizados em diversos tipos de indústria, como a de papel, alimentos, química e farmacêutica e, mais recentemente, na produção agrícola, como soja, cana-de-açúcar, algodão e olerícolas, entre outras. Eles controlam doenças causadas por fungos de solo, que infectam as raízes, a base dos caules e o sistema vascular das plantas, ocasionando podridões e murchas.

O uso do Trichoderma nas lavouras também traz outros benefícios, além do controle de nematoides, associados ao crescimento das plantas e à produtividade, principalmente quando aplicados em solos considerados pobres em nutrientes. Segundo o pesquisador do IB, ao melhorar o desenvolvimento das raízes e a solubilização de minerais, esses fungos acabam propiciando o melhor aproveitamento de água pelas plantas e uma maior absorção de nutrientes.

Os ácidos orgânicos e outros metabólitos produzidos pelo Trichoderma colaboram para a solubilização de fosfatos, micronutrientes e outros minerais como ferro, manganês, cobre e zinco. Além disso, como participam da decomposição de matéria orgânica no solo, aumentam a quantidade de nutrientes que podem ser absorvidos pelas raízes. Algumas linhagens produzem ainda um hormônio de crescimento vegetal.

“Mas é importante lembrar que o efeito de Trichoderma na produtividade varia de acordo com a planta cultivada e a linhagem introduzida, bem como com as práticas culturais adotadas pelo produtor que podem ou não favorecer o crescimento e sobrevivência do fungo no local”, explica Harakava.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.