Pecuária 4.0: A digitalização da fazenda bate à porteira

Pecuária 4.0: A digitalização da fazenda bate à porteira

PARTILHAR
balpass coimma
Foto: Divulgação

Tecnologias digitais estão cada vez mais presentes e acessíveis, elevando o setor pecuário para uma nova fase de precisão na hora de mensurar os dados.

“O Brasil é um país onde as pessoas acham muito, observam pouco e não medem absolutamente nada” – Essa frase tão emblemática do engenheiro agrônomo e pecuarista Fernando Penteado Cardoso começa a cair em desuso em muitas fazendas pelo país, o uso de várias tecnologias tem elevado a produtividade e consequentemente a lucratividade do produtor rural. A balança, item indispensável, tem ganhado várias tecnologias e formatos para solucionar um dos maiores problemas da pecuária brasileira, a pesagem dos animais.

A Coimma, empresa brasileira, criou a BalPass, uma tecnologia capaz de pesar o gado na invernada e predizer quais são os animais que estão ganhando mais ou perdendo peso em tempo real. “Com essas informações você consegue segregar os animais que estão ganhando 300g/dia, 1,5kg/dia e consegue tomar a decisão de ficar ou não com esses animais no confinamento. Quando os animais com baixo ganho médio diário passarem novamente pela balança eles podem ser identificados e com a ajuda de uma porteira “louca” fará a apartação do lote, essas informações são carregadas na nuvem e enviadas para o seu celular” afirmou Pedro Paulo, pesquisador da Embrapa Gado de Corte de Campo Grande.

Na contramão deste cenário, dados recentes do especialista em nutrição e produção animal Lainer Leite mostram que 30% das fazendas brasileiras de pecuária usam somente o sal branco como forma de suplementação, algo inimaginável nos dias de hoje, onde a nutrição animal tem alcançado patamares incríveis e fazendo o pecuarista terminar seu boi com meses de antecedência frente às médias de décadas passadas, quando levava-se mais de 60 meses para levar a boiada ao frigorífico.

Mostrando alguns destes cenários é possível afirmar que a convergência integral de tecnologias entre os mundos físico, digital e biológico será a quarta revolução industrial. A Pecuária 4.0 faz uso da inteligência artificial, robótica, bigdata, manufatura aditiva, biologia sintética e sistemas ciber-físicos. Todo esse pacote tecnológico ainda fascina poucos produtores, normalmente os mais jovens, talvez pela pecuária não cobrar um preço muito alto pela ineficiência como a agricultura, pelo menos não tão perceptível por parte do produtor, os pecuaristas tem demorado tanto para aderir às novas tecnologias.

Estar atento à essas mudanças é essencial para fornecer aos produtores brasileiros sempre as melhores tecnologias com custo/benefício acessíveis e de alta qualidade, a COIMMA figura entre as 10 empresas mais inovadoras do Brasil, segundo a Revista Forbes, ao lado de empresas como Raizen, Pepsico e Vivo. Entre as inovações da empresa que já fazem parte do dia-a-dia rural estão as balanças de precisão, a Balpass, o tronco Megatron que tem o melhor custo benefício da categoria.

Confira essa matéria especial sobre a Balpass, balança de passagem

A Pecuária 4.0 chegou para ficar, quem estiver preparado para fazer a gestão da informação da maneira correta vai sair na frente de um setor que deve ter um aumento de milhões de toneladas anuais no consumo de carne no Brasil e no mundo, devido aos desafios alimentares que enfrentaremos nos próximos anos. Por isso, ter em mãos softwares e equipamentos modernos de controle de gado que ofereçam segurança na hora da tomada de decisões com foco na eficiência e rentabilidade do negócio hoje terá o futuro da atividade garantido.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com