Pecuaristas acusam JBS de manipulação da arroba, veja

PARTILHAR
Confinamento e Boitel VFL BRASIL. Foto: Marcella Pereira

Queremos conclamar a classe produtora a não fechar negócios abaixo dos R$ 300,00 por arroba do boi gordo. Não podemos ceder à pressão injusta da indústria!

Por meio de um pronunciamento divulgado nas redes sociais, o presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Jonatan Pereira Barbosa, denunciou a pressão dos frigoríficos sul-mato-grossenses, em especial do grupo JBS. A denúncia foi motivada após indústrias abrirem compras nesta quinta-feira (09), ofertando a arroba do boi gordo por R$ 280,00.

O ruralista argumenta que a indústria usou a suspensão das exportações para a China em decorrência dos casos registros de “vaca louca”, como artifício para reduzir os preços da arroba.

Segundo o ruralista a indústria está querendo se aproveitar de uma situação isolada que é a suspensão das exportações para a China em função dos dois registros de mal da vaca louca atípicos, recentemente confirmados no Mato Grosso e Minas Gerais. 

“Queremos conclamar a classe produtora a não fechar negócios abaixo dos R$ 300,00 por arroba do boi gordo. Não podemos ceder à pressão injusta da indústria que vem agindo com extremo oportunismo para especular o mercado”, alertou o presidente da Acrissul.

Ao longo desta semana a arroba do boi gordo seguiu com preços firmes nas principais regiões pecuárias do país, mesmo com a pressão baixista dos frigoríficos.

Dados da Scot Consultoria apontam que nas praças paulistas, o preço do macho opera a R$ 310/@ (preços brutos e a prazo). Conforme a Cepea arroba do boi gordo para em R$ 312,25. As cotações da vaca e novilha gordos também seguem estáveis, cotadas a R$ 292/@ e R$ 307/@, respectivamente (preços brutos e a prazo).

Queremos conclamar a classe produtora a não fechar negócios abaixo dos R$ 300,00 por arroba do boi gordo.

Jonatan Pereira Barbosa ressalta que o momento exige cautela. “Agora o momento é de aguardar e segurar. Não há estoque disponível nos pastos para frigorífico querer ditar regras e a situação com a China é meramente passageira e pontual”, finalizou o presidente. 

O mercado físico de boi gordo registrou preços mais baixos nas principais praças de produção e comercialização do país nesta quinta-feira. Segundo o analista Fernando Henrique Iglesias, da consultoria Safras & Mercado, o ambiente em termos de negócios segue complicado.

“Os frigoríficos exportadores seguem em seu trabalho de remanejar as escalas de abate até que haja uma posição concreta por parte da China. Já há notícias de tentativas de renegociação de contratos por parte de importadores chineses. Os frigoríficos que operam apenas no mercado doméstico também atuam de maneira tímida, já sinalizando para preços muito mais baixos na comparação com terça-feira da semana passada, data que antecedeu a notícia dos casos atípicos de EEB no Brasil”, apontou Iglesias.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com