Picapes: veja por que elas são a melhor opção de veículo

PARTILHAR

Uma característica em especial as torna ainda mais atrativas: a segurança. Altas e robustas, as picapes dão uma boa sensação de segurança por si só.

O crescimento das vendas de picapes não surpreende. Já faz anos que elas deixaram de ser rústicas e passaram a ser veículos confortáveis, tecnológicos e seguros. Por serem veículos de trabalho e também de lazer, são os mais versáteis do mercado. Oferecem tudo o que um SUV dispõe e vão além: bem-estar para passageiros e muito espaço na caçamba.

As picapes estão cada vez mais sofisticadas e modernas e acompanham todas as inovações já presentes em outros segmentos, em motor, câmbio, tração e conectividade.

Uma característica em especial as torna ainda mais atrativas: a segurança. Altas e robustas, as picapes dão uma boa sensação de segurança por si só. Nem por isso, dispensam um elevado padrão de componentes e sistemas de proteção.

Mitsubishi L200 Triton Sport, uma das picapes mais completas do mercado brasileiro, se destaca neste quesito e possui diversos atributos que a tornam ainda mais segura.

Itens de segurança passiva

Quando falamos de segurança, e isso serve para qualquer tipo de automóvel ou comercial leve, é preciso destacar que os veículos são equipados com sistemas ativos (que evitam ou mitigam um acidente) e passivos (que reduzem os danos e ferimentos dos ocupantes quando ocorre um sinistro). Todos são importantes e cada vez mais incorporados e necessários.

São inúmeros os itens que atenuam a gravidade de um acidente, que podem ir desde a construção da carroceria, com aços de alta resistência, as colunas de direção deformáveis, etc.

Entre os mais conhecidos e utilizados pelos consumidores em segurança passiva estão os cintos de segurança. Todos devem ser de três pontos com sistema pré-tensionador. Carros mais equipados trazem o ajuste de altura para motorista e passageiro do banco da frente e aviso de cintos desatados.

Os airbags são os itens que menos queremos usar, mas estão ali para que nos protejam no momento de uma colisão. Pela lei, são obrigatórios no Brasil para motorista e passageiro em duas bolsas frontais. Algumas montadoras vão além e oferecem muito mais, chegando a seis ou sete airbags disponíveis.

Também fazem parte do pacote passivo obrigatório os apoios de cabeça e o Isofix, que é o padrão de fixação de cadeirinhas infantis, presas em ganchos soldados na carroceria no lugar do cinto.

Beleza e funcionalidade

Alguns itens que se confundem com o design dos veículos são altamente funcionais e por isso transmitem mais segurança. Entre eles, estão os faróis e lanternas de LED. Mais do que bonitos e vistosos, eles são fundamentais porque iluminam melhor e têm maior vida útil.

Além deles, um carro mais seguro é complementado com faróis e lanternas de neblina e o DRL (luz de condução diurna).

farol alto também evoluiu: hoje, os mais modernos possuem sensores que captam com antecedência outro carro na mesma faixa ou sentido oposto e desligam automaticamente o facho alto para não ofuscar os olhos dos outros motoristas, retomando o facho mais alto assim que a pista estiver livre.

Telas e sensores que monitoram de tudo

sistema multimídia é um recurso quase obrigatório nos carros de hoje. Com diversas dimensões e funções, incorporam as câmeras de ré, fundamentais para estacionar um veículo do porte de uma picape.

Junto com as câmeras, não vivemos mais também sem os inúmeros sensores, incluindo os de estacionamento dianteiro e traseiro. Existe ainda o sensor crepuscular (acendimento automático dos faróis), de chuva e o de velocidade para travamento automático das portas. Outro mais recente e muito útil é o TPMS, ou sistema de monitoramento de pressão dos pneus.

Segurança ativa só evolui

A lista de equipamentos que evitam acidentes só cresce. Cada vez mais, os carros ganham sistemas eletrônicos “inteligentes”, capazes de prever situações e corrigi-las.

Os chamados sistemas semiautônomos tornam-se mais familiares nos veículos brasileiros. Se antes eles eram comuns em SUVs e sedãs luxuosos, hoje a “sopa de letrinhas” de componentes está presente nas picapes mais modernas.

Nesta evolução, muitos estão interligados. Por exemplo, os controles ativos de estabilidade (ASC) e tração (ATC) trabalham junto com os freios antitravamento com distribuição eletrônica (ABS + EBD) e servem para manter o veículo na trajetória e limitar a patinagem das rodas.

Ainda nos freios, o assistente de frenagem de emergência (BAS) mantém a ação de frenagem mesmo que o motorista alivie a pressão sobre o pedal, fazendo o veículo parar na menor distância possível sem perder a estabilidade.

O sistema de monitoramento de emergência (BOS) evita que freio e acelerador sejam acionados acidentalmente juntos e reduz as rotações do motor gradativamente até a parada total e controlada do veículo.

Assistências ao motorista

Enquanto alguns sistemas ajudam a parar o veículo, outros auxiliam na segurança ao dirigir. Um deles é o assistente de partida em rampa (HSA), sistema eletrônico que mantém o veículo parado numa ladeira, por alguns segundos, quando o motorista tira o pé do freio para acelerar. Se já é uma comodidade em carros pequenos, em picapes, o HSA é muito útil.

O mesmo podemos dizer sobre o controle de descida de rampa (HDC), que ajuda os motoristas em terrenos mais íngremes, de forma lenta e constante, tanto no asfalto quanto na terra.

Sistemas ainda mais avançados

O cansaço e outras distrações que temos ao volante são preocupações constantes, mas ainda bem que modernos recursos de alertas e assistências têm feito muita diferença para evitar possíveis acidentes.

Um dos mais comuns é o sistema de monitoramento de pontos cegos (BSW): ele avisa o motorista que muda de faixa que há um veículo vindo ao lado, justamente no ponto em que ele não enxerga apenas pelos espelhos.

Muitas vezes por fadiga ou desatenção, o motorista sai da sua pista sem avisar pela seta de mudança. Para situações assim, o aviso de saída de faixa de Rolamento (LDW) é um alerta importante.

Ao sair de uma vaga de estacionamento de ré com carros estacionados ao lado, fica difícil ver se algum veículo está vindo naquela via. Para isso, o motorista pode contar com o sistema de aviso de tráfego traseiro (RCTA): um radar que detecta obstáculos ou se há algum outro veículo próximo em movimento.

E um dos itens mais importantes hoje em segurança ativa é o sistema de frenagem autônoma (FCM), que monitora o risco de uma colisão frontal e atua nos freios para evitar o acidente.

Picape com segurança top de linha

Hoje, boa parte desses equipamentos de segurança está disponível em SUVs de todos os portes. E são de extrema utilidade em picapes, principalmente para quem trafega com elas no trânsito nas cidades e precisa de uma assistência eficaz para circular com segurança entre carros, motos, bicicletas e pedestres.

Todos esses recursos já citados e mais alguns outros podem ser encontrados como itens de série na versão topo de linha da Mitsubishi L200, a Triton Sport HPE-S.

Ótima para rodar no off-road, a L200 também conta com atributos para dirigir uma picape desse porte pela cidade, de forma tranquila e confortável.

Entre outros diferenciais, a L200 vem equipada com o sistema de prevenção de aceleração involuntária (UMS), que reduz as chances e o perigo de atingir obstáculos à frente ou atrás, a até 4 metros, caso o motorista pressione fortemente o acelerador por engano com o carro parado ou até 10 km/h.

O sistema de frenagem autônoma na versão HPE-S da L200 é semiautônomo e funciona em 3 estágios: primeiramente, soa um sinal sonoro caso a picape se aproxime rapidamente de um veículo à frente, como em uma parada repentina do trânsito. Se não houver reação do motorista, o freio é levemente acionado e, numa etapa seguinte, para evitar a colisão, o sistema freia sozinho a picape até ela parar. Tudo isso em frações de segundos.

A L200 tem ainda o sistema ESS, uma sinalização de frenagem de emergência, que funciona como um alerta para evitar colisões de outros carros, acionando as luzes de frenagem de forma intermitente.

Junto com as câmeras e sensores, que alertam sobre pontos cegos nas mudanças de faixa (ainda mais na cidade, onde trafegamos entre motociclistas), e o assistente de partida em rampa, fica muito mais fácil circular com a L200 nos trechos urbanos.

Entre outras comodidades, a picape da Mitsubishi possui sistema de entrada e travamento sem chave (keyless), faróis com lavador e regulagem de altura. A central multimídia da JBL possui tela tátil de 7 polegadas, GPS nativo,  junto com todos os recursos de câmeras que auxiliam as manobras nos centros urbanos.

Para quem precisa rebocar algo (trailer, carretinha para moto ou jet ski, etc.), a L200, que leva até 2.300 kg, conta ainda com o assistente de condução com trailer (TSA), um controle de estabilidade inteligente para trafegar de forma mais segura quando se transporta algo separadamente da picape.

Vale destacar que a Mitsubishi L200 Triton Sport vem equipada com sete airbags (2 dianteiros, 1 joelho do motorista, 2 laterais dianteiros e 2 de cortinas frontais e traseiros).

Forte e corajosa

A L200, produzida em Catalão (GO), é a picape que mais cresceu em participação de mercado este ano: no acumulado de janeiro a julho deste ano, a linha L200 cresceu 32% nas vendas em relação ao mesmo período de 2021.

Sob seu capô, o motor turbodiesel 2.4 entrega 190 cv de potência, acoplado à transmissão automática de 6 marchas. A tração na versão HPE-S é de última geração, a Super Select 4WD-II com 4×4 e reduzida. Por meio de um seletor no console central, é possível escalar tração traseira e 4×4, com bloqueio do diferencial central e reduzida, conforme o nível de dificuldade dos obstáculos.

Fonte: Money Times

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com