Preço cai R$ 118/cab; Hora de comprar a reposição?

PARTILHAR
Foto: L. M Nieto / @lmnieto

O mercado da reposição, de forma geral, observou um aumento no número de ofertas e, ao mesmo tempo, uma baixa liquidez; É hora de comprar a reposição?

Os últimos 15 dias foram de grande turbulência para o pecuarista de todo o país, que se viram diante de um mercado travado após especulações e notícias que impactaram nas negociações. No setor da Cria, os pecuaristas elevam oferta de animais jovens, mas o cenário foi de baixa liquidez. Hora de comprar a reposição?

Do outro lado, conforme supracitado, o cenário da greve dos caminhoneiros e da confirmação de dois casos atípicos de vaca louca, fizeram com que a demanda por parte de recriadores e invernistas perdesse força. Porém, para aqueles que buscam recompor seu rebanho e projetam as entregas para o primeiro trimestre de 2022, o momento pode ser fundamental para ir as compras!

O volume de negócios no mercado de gado para reposição apresentou piora significativa na liquidez ao longo desta semana em diversas regiões do País. Além desse fator, também foi registrado uma forte redução na quantidade de leilões, cenário esperado para semana de feriado prolongado, manifestações e incertezas no mercado.

Conforme apontado pelo indicador Cepea do bezerro (praça do MS) os preços sofreram grande desvalorização e fechou a sexta-feira (10/9) cotado em R$ 2.846,37. Diante disso, o cenário é de desvalorização acentuada nos últimos 15 dias.

Para se ter uma ideia, conforme apontado no gráfico abaixo, os preços atingiram o pico de preço no valor de R$ 2.964,75 por cabeça e acabaram apontando para uma queda de R$ 118,38/cab, fechando a semana cotado a R$ 2.846,37/cab. Reflexo da maior oferta de animais nas praças pecuárias pelo país.

Segundo a IHS, o travamento do mercado do boi gordo, devido principalmente à suspensão voluntária dos embarques à China após o registro dos dois casos atípicos de vaca louca, reduziu o poder de negociação dos recriadores e invernistas, que, por sua vez, buscam postergar ao máximo a reposição do rebanho.

Além disso, a paralisação dos caminhoneiros, iniciada na quarta-feira (9/9), agravou a logística do setor pecuário, gerando até mesmo o cancelamento de leilões em algumas regiões.

Momento é de comprar a reposição?

Para tomar essa decisão, o pecuarista precisa avaliar o seu planejamento e olhar para o mercado da porteira para fora. Pensar na reposição agora, no caso de animais mais jovens, seria se atentar para os possíveis cenários para o primeiro trimestre de 2022.

“Nesse cenário, a procura por animais de reposição segue travada, assim como o restante da cadeia pecuária”, ressalta a consultoria.

Atualmente, a piora na qualidade das pastagens e o avanço nos custos da nutrição – que também explicam o baixo volume de negócios no mercado de reposição – pode ser um fator determinante para aproveitar a oportunidade de comprar uma reposição mais barata.

Com as condições ruins das pastagens, muitos criadores foram obrigados a elevar a oferta de animais jovens nas últimas semanas, porém os dados apontam para uma nova queda no número de abates neste ano. Esses abates refletem a piora na oferta de animais para abate ao longo do ano e, com a chegada do fim de ano, essa lacuna deve crescer ainda mais.

Segundo os analistas, devemos continuar observando uma demanda acima da oferta para o ano de 2022, principalmente no que diz respeito ao mercado interno. O avanço da vacinação da população mais jovem e o retorno das atividades econômicas devem elevar a demanda pela proteína bovina.

Em um cenário otimista, com o avanço da demanda chinesa se aliando a um mercado interno com elevação da demanda, não se terá matéria prima suficiente para as indústrias conseguir atender a demanda da ponta compradora.

Sendo assim, sem mais delongas, o que pode parecer “dificuldade” agora – pasto seco, insumos elevados – pode ser o menor dos custos diante de uma alta no preço da arroba e melhora nas margens de lucro no final do ciclo.

No curto prazo, os recriadores e invernistas devem se manter fora das negociações, aguardando uma maior definição do mercado, mas para quem trabalha com a integração ou com o contrato com Boiteis, tem a oportunidade de obter excelentes margens de lucro com os atuais preços da reposição!

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.