Preço da soja bate novo recorde no Brasil, veja!

Preço da soja bate novo recorde no Brasil, veja!

PARTILHAR
SLC_SEMENTES_COLHEITA_SOJA_2019_083
Foto: Divulgação

A falta de oferta, os ganhos de Chicago, a valorização do dólar e os prêmios firmes elevam as cotações; saca bate os R$ 170 no Paraná. Confira agora!

Os preços da soja voltaram a subir nesta quarta-feira, 21, nas principais regiões produtoras do país. A falta de oferta, os ganhos de Chicago, a valorização do dólar e os prêmios firmes elevam as cotações.

Mesmo com poucos negócios, as cotações batem em patamares históricos. Em Cascavel (PR), os compradores mais necessitados já estão oferecendo R$ 170 pela saca. O produtor segue de fora do mercado e foca no plantio da nova safra, que avançou após as chuvas dessa semana, mas segue atrasado.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 165,50 para R$ 168. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 164,00 para R$ 166. No porto de Rio Grande, o preço aumentou de R$ 164,50 para R$ 165,50.

Em Cascavel, no Paraná, o preço avançou de R$ 169,00 para R$ 170 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca aumentou de R$ 153 para R$ 155.

Em Rondonópolis (MT), a saca passou de R$ 165 para R$ 166. Em Dourados (MS), a cotação seguiu em R$ 166. Em Rio Verde (GO), a saca subiu de R$ 165 para R$ 167.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quarta-feira com preços mais altos. O mercado foi sustentado mais uma vez pela demanda aquecida pelo produto americano. O atraso no plantio no Brasil completou o cenário positivo para os preços.

Apesar do retorno das chuvas no Brasil e da previsão de mais precipitações, o sentimento em Chicago é de que o volume deverá ser insuficiente para regularizar o déficit hídrico. Os produtores, no entanto, estão aproveitando para acelerar a semeadura.

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com alta de 8 centavos de dólar por libra-peso ou 0,75% a US$ 10,72 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 10,71 por bushel, com ganho de 7,75 centavos ou 0,72%.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com alta de US$ 6,90 ou 1,85% a US$ 378,80 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 33,20 centavos de dólar, baixa de 0,11 centavo ou 0,33%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,10%, sendo negociado a R$ 5,6160 para venda e a R$ 5,6140 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,5730 e a máxima de R$ 5,6290.

Fonte: Agência Safras

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.