Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?

Preços da soja no Brasil ficam estáveis após Chicago e dólar inconstantes

A alta do petróleo e a queda do dólar frente a outras moedas ajudaram a oleaginosa. O bom número de inspeções semanais foi um dado positivo.

O mercado brasileiro de soja registrou negócios pouco expressivos nesta segunda-feira (17). A movimentação aconteceu apesar da volatilidade nas variáveis formadoras de preços. Ao longo do dia, o dólar chegou a ter queda expressiva, reduzindo as perdas no fechamento. Chicago chegou a subir, mas fechou o dia no negativo.

Cotações no mercado interno da soja

  • Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos seguiu em R$ 183,00
  • Região das Missões: a cotação estabilizou em R$ 182,00
  • Porto de Rio Grande: o preço caiu de R$ 191,00 para R$ 189,00
  • Cascavel (PR): o preço ficou estável em R$ 182,00
  • Porto de Paranaguá (PR): a saca permaneceu em R$ 189,00
  • Rondonópolis (MT): a saca seguiu em R$ 168,00
  • Dourados (MS): a cotação subiu de R$ 176,00 para R$ 177,00
  • Rio Verde (GO): a saca permaneceu em R$ 172,00

Bolsa de Mercadorias de Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços predominantemente mais baixos. Apenas novembro encerrou no território positivo, em um dia volátil e marcado por ajustes técnicos.

O mercado encontrou suporte na maior parte do dia no desempenho favorável do financeiro. A alta do petróleo e a queda do dólar frente a outras moedas ajudaram a oleaginosa. O bom número de inspeções semanais foi um dado positivo.

Mas a recuperação foi limitada e zerada por outra série de fatores. O esmagamento nos Estados Unidos em setembro ficou abaixo do esperado. Além disso, a colheita avança bem nos EUA e o plantio tem boa evolução no Brasil, 

Associação Norte-Americana dos Processadores de Óleos Vegetais (Nopa, na sigla em inglês) informou que o esmagamento de soja atingiu 158,11 milhões de bushels em setembro, ante 165,538 milhões no mês anterior. A expectativa do mercado era de 161,6 milhões.

soja brasileira
Foto: Divulgação

As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 1.882.386 toneladas na semana encerrada no dia 13 de outubro, conforme relatório semanal divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). O mercado esperava 910 mil toneladas.

Contratos da soja

Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com alta de 1,50 centavo de dólar por bushel ou 0,10% a US$ 13,85 1/4 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 13,92 3/4 por bushel, inalterado na comparação com a sexta. Demais posições tiveram leve baixa.

Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 0,10 ou 0,02% a US$ 411,00 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 66,84 centavos de dólar, com alta de 1,54 centavo ou 2,35%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,48%, sendo negociado a R$ 5,3010 para venda e a R$ 5,2990 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,2540 e a máxima de R$ 5,3030.

Fonte: Agência Safras

Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Não é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

Siga o Compre Rural no Google News e acompanhe nossos destaques.
LEIA TAMBÉM