Previsão do tempo indica mudança no padrão

Previsão do tempo indica mudança no padrão

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Precipitações devem retornar ao Sul por um período. Porém, segundo semestre promete ser bastante complicado para produtores da região.

O padrão de chuvas no Brasil deve mudar no fim de abril, de acordo com a previsão do tempo. As precipitações devem diminuir no Brasil central e retornar a Mato Grosso do Sul e aos estados do Sul. “Em Camaquã (RS), entre o fim de abril e decorrer de maio, vamos alcançar acumulados de três dígitos”, afirma o meteorologista Celso Oliveira, da Somar. Segundo ele, a chuva ajudará a repor a água dos mananciais e a aumentar a umidade do solo para instalação do trigo.

O segundo semestre tem uma projeção de umidade mais favorável ao Nordeste do Brasil. Já para o Sul, a expectativa é de um cenário ainda mais preocupante. “Com o resfriamento das águas do oceano Pacífico, mesmo que não se configure um La Ninã, a promessa é de outra safra complicada para os produtores, não só do Rio Grande do Sul, mas também de Santa Catarina e Paraná, além da Argentina”, diz Celso Oliveira.

Curto prazo

A diminuição da chuva até agora favoreceu a rápida aceleração da colheita no oeste da Bahia. A umidade do solo está alta em diversas áreas do Matopiba — formada por Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Nos próximos dias, segundo a previsão do tempo, algumas cidades importantes desta fronteira agrícola voltarão a receber chuvas, o que deve interromper novamente a colheita.

Uma frente fria que passou rapidamente pelo Sul e provocou ventania e altos acumulados em alguns locais como Apucarana (PR) vai estacionar entre o norte de Minas Gerais, Espírito Santo e sul e oeste da Bahia, trazendo de 80 a 100 milímetros nos próximos dias.

Segunda-feira, 13 de abril
Sul

O destaque no Sul do Brasil é a formação de uma nova frente fria. Há previsão de chuva na forma de temporais, onde as pancadas são fortes a partir da tarde, com descargas elétricas e rajadas de vento. 

Segundo a Somar Meteorologia, chove desde o sul do Rio Grande do Sul até a região de Foz do Iguaçu, no sudoeste Paraná. O alerta vai para o risco de acumulados elevados, com formação de pontos de alagamentos no centro oeste do Rio Grande do Sul. 

Do extremo nordeste gaúcho até o norte paranaense, o tempo firme predomina sob a influência de uma massa de ar seco. Salienta-se que no início do dia pode ter névoa úmida e nevoeiro no leste do Paraná.

Sudeste

O tempo firme segue predominando em quase todo o estado de São Paulo, assim como no oeste do Rio de Janeiro e no sul de Minas Gerais, a exceção no estado paulista desta vez é no norte paulista, mas tudo indica será uma chuva rápida, isolada e sem grande intensidade. 

A chuva ainda se espalha por grande parte do Rio de Janeiro, em Minas Gerais e persiste especialmente no Espírito Santo.

Acumulados significativos ainda podem ser registrados no litoral norte capixaba e no nordeste de Minas Gerais, com riscos de alagamentos. 

Centro-Oeste

O dia é marcado pelo retorno da chuva em Mato Grosso do Sul, devido a instabilidades no interior do continente. Apesar disso, a precipitação é uma chuva ainda sem grandes acumulados, que ocorre à tarde, depois de calor.
 
A mesma previsão vale para Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal, mas vale ressaltar que a chuva ganha força no norte mato-grossense.

Nordeste

A chuva ainda promete afetar bastante o litoral sul baiano, o Maranhão e o Piauí. No entanto, na maior parte da Bahia, a chuva começa a perder intensidade comparada aos últimos dias. A chuva também perde força também no Ceará. 

Norte

O início de semana tem a presença de chuva em toda a região Norte, provocadas por instabilidades em altos níveis da atmosfera. A chuva perde intensidade no Amazonas, mas ainda acontece com grandes volumes entre Pará e Tocantins. Entre o leste paraense e o norte tocantinense, o céu fica nublado e a chuva pode ocorrer a qualquer momento do dia.

Terça-feira, 14 de abril
Sul

O dia é marcado por chuva desde o início do dia nos três estados da região Sul, devido à passagem da frente fria. A precipitação dura ao longo do dia e vai ganhando força no decorrer da tarde e da noite. Há previsão de chuva intensa, com riscos de alagamentos. 

Outro alerta é para as rajadas de vento, que podem ultrapassar 70 quilômetros por hora em toda a região, em especial nas faixas leste e sul. 

O tempo firme volta a ocorrer apenas na Fronteira Oeste e Missões, no oeste gaúcho. Por conta dos ventos de sul e mais o tempo fechado em boa parte dos três estados, as temperaturas despencam, em comparação ao dia anterior.

Sudeste

Há previsão de chuva na madrugada da terça-feira e pela manhã no oeste e sul de São Paulo, que vai ganhando força ao longo do dia e se espalhando para as demais áreas do estado, pegando o sul de Minas Gerais, Triângulo Mineiro e o Rio de Janeiro. 

“Atenção nessas áreas que chove, pois ela vem na forma de temporais, com rajadas de vento de mais de 60 quilômetros por hora e muitas descargas elétricas”, diz a Somar.

Chove intensamente também no Espírito Santo, com acumulados elevados e potencial para alagamentos, neste caso as instabilidades ocorrem pela influência da umidade que vem do mar, trazida pelas circulações dos ventos.

Centro-Oeste

Uma frente fria avança pelo Sul do país e organiza um corredor de umidade sobre o Centro-Oeste. Volta a chover forte em Mato Grosso do Sul e a chuva também se intensifica em Mato Grosso, inclusive com possibilidade para acumulados elevados de forma pontual em ambos os estados.

Em Goiás e no Distrito Federal, as pancadas são rápidas e acontecem a tarde.

Nordeste

A terça-feira é marcada por chuva na maior parte do Nordeste. A precipitação volumosa não dá trégua ao litoral da Bahia e ao Maranhão. 
Do Ceará ao Sergipe, o sol predomina, mas ainda há condição para chuva rápida no período da tarde.

Norte

O dia é de chuva em todo o Norte do Brasil. O volume pode ser significativo na região de Porto Velho (RO), sudeste do Amazonas, metade sul do Pará e metade norte do Tocantins. Nas demais áreas, a chuva é mais curta e menos volumosa no fim da tarde. Ainda faz calor.

Compre Rural com informações do Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com