Programa de Melhoramento Genético: Banco do Brasil e Grupo Adir dispõe R$...

Programa de Melhoramento Genético: Banco do Brasil e Grupo Adir dispõe R$ 100 milhões

PARTILHAR
Programa de Melhoramento Genético: Banco do Brasil e Grupo Adir dispõe R$ 100 milhões Foto: Pec Press

O Banco do Brasil aplicará R$ 100 milhões em um convênio inédito firmado em parceria com o Grupo Adir, tradicional fazenda selecionadora de gado Nelore, que beneficiará milhares de produtores de carne e leite em todo País.

Essa parceria entre a entidade financeira que mais investe no agronegócio brasileiro e a única marca de gado remunerada na ponta final da cadeia produtiva da carne bovina, denominada Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir, foi anunciada em 25 de julho, na sede da propriedade, a Estância 2L, em Ribeirão Preto (SP), com a presença de 300 convidados.

Funcionando como elo de integração dos produtores com o Banco do Brasil, o Grupo Adir intermediará o financiamento de doses de sêmen, embriões, prenhezes, touros e matrizes selecionadas pelo Grupo Adir, além de ainda facilitar o acesso dos pecuaristas a produtos veterinários, serviços de assistência técnica e capacitação de mão de obra.

“O Banco do Brasil é o maior banco da América Latina e líder mundial no crédito para o agronegócio. Temos mais de 200 anos de história, cerca de 5 mil dependências e 100 mil funcionários. Não podemos associar uma marca tão valiosa quanto à nossa a outra que não seja do porte do Grupo Adir. Não temos dúvidas de que o Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir será um sucesso”, frisa o diretor de Agronegócio do Banco do Brasil, Marco Túlio Moraes da Costa.

Segundo ele, mais do que um simples convênio de melhoramento genético, o compromisso do Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir é facilitar o acesso dos produtores rurais a um material genético que seja realmente capaz de elevar a produtividade e a margem de lucro das propriedades.

Costa compara a filosofia do Grupo Adir à eficiência produtiva o modelo norte-americano de produção de carne bovina, que apresenta uma taxa de desfrute elevada do rebanho, mesmo com plantel menor. “Isto é o que temos presenciado no Grupo Adir”, frisou.

Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir oferece condições exclusivas

O Grupo Adir vai intermediar todos os trâmites com o produtor, depois de avaliar as condições sazonais de produção e o material genético mais adequado às metas de cada cliente. Em seguida, indicará as modalidades de crédito.

No Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir há financiamentos que envolvem prazos de três a dez anos para pagamento, com taxas que podem variar de 4,6% a 10% ao ano. As propostas serão aprovadas pelo Banco do Brasil através do Portal BB.

Se deferidos, os contratos serão enviados às Agências de Relacionamento BB para assinatura. Todo o processo será digital e automatizado para que contrato seja assinado com máxima agilidade, em até, no máximo, três dias.

Três modalidades de crédito poderão ser acionadas pelos clientes, começando pelo InvestAgro, lastro da LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), que trabalha com taxa de juros de 10% ao ano e prazo de três anos para pagar, em parcelas anuais.

Já por meio da FCO Custeio Agropecuário, o financiamento pecuário é voltado às fazendas de gado localizadas na região Centro-Oeste, com juros de 5,86% a 6,76% ao ano e acerto em até 12 anos. É indicado a grandes negociações.

Por fim, os interessados também poderão se valer do PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), com taxa de 4,6% ao ano e prazo de dez anos para liquidar, também dependendo do montante negociado.

“Todos os pecuaristas, dos grandes aos pequenos, serão contemplados com condições exclusivas de pagamento. Em qualquer modalidade, a carência é de um ano e as parcelas serão anuais”, esclarece Walter Celani, gerente do Grupo Adir.

R$ 103 bilhões para o Plano Safra

Com investimento de R$ 184 bilhões, o Banco do Brasil é a instituição financeira que mais investiu no agronegócio, concentrando 60% das operações. Quase 30% de sua carteira de crédito é destinada ao setor, sendo aplicados, somente na pecuária, cerca de R$ 52 bilhões (R$ 40 bilhões apenas na bovinocultura).

Durante o lançamento do Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir, o diretor de Agronegócio do banco anunciou que o plano é aplicar R$ 103 bilhões no Plano Safra 2017/2018, um acréscimo de 25% em relação à safra anterior (encerrada em junho último), quando o BB injetou nada menos que R$ 85 bilhões (R$ 22 bilhões em créditos apenas à pecuária de corte e leite).

Costa estima uma redução de juros na ordem de 1,5% e a possibilidade de alíquotas pós-fixadas serem regulamentadas pelo Conselho Monetário Internacional.

Seis décadas de história do Grupo Adir

Nos últimos anos o Grupo Adir vem surpreendendo a pecuária nacional, defendendo o papel da pureza racial na raça Nelore para elevação dos índices de lucratividade do produtor rural.

Trabalho este que culminou no lançamento de programas de bonificação inéditos e também na maior negociação individual de doses de sêmen no mundo. À Fazenda Nova Piratininga, de São Miguel do Araguaia (GO), vendeu mais de 90 mil doses de sêmen.

Também nasceu em Goiás, na Fazenda Conforto, sediada em Nova Crixás, o maior programa de bonificação já visto no mercado, que renumera fornecedores de bezerros com genética Adir em 25% sobre o indexador de boi gordo CEPEA-GO a prazo.

Muitos projetos já consolidados em programas de qualidade de carne bovina pagam menos da metade deste percentual. Já em Pernambuco, uma parceria com o frigorífico Masterboi, que possui unidades no Pará e Tocantins, paga ágio de até R$ 3/@ a produtos filhos de touros Adir. A grande novidade é que os pecuaristas interessados ainda contarão com financiamento do Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil e Grupo Adir para liquidar as compras desta genética melhoradora.

“Esse é o resultado de uma vida inteira dedicada à pecuária brasileira e à pureza racial do Nelore. O padrão natural da raça e a experiência em avaliar o potencial de cada linhagem ao longo das gerações é o principal legado dos importadores de 1906 e da década de 1960, mostrando que nada fora disso é realidade”, diz Adir do Carmo Leonel, que administra a propriedade ao lado do filho, Paulo Leonel.

“O Programa de Melhoramento Genético Banco do Brasil – Grupo Adir chega para coroar este trabalho. Trabalharemos incansavelmente para multiplicar essa genética e fazer deste projeto um divisor de águas na pecuária nacional”, projeta Paulo Leonel.

A fêmea F1 é uma “grande oportunidade” que o pecuarista encontrou

Acesse www.adirleonel.com.br ou clique aqui para obter mais informações do Grupo Adir

Fonte: Pec Press

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com