Prorrogada as dívidas de produtores afetados pela seca

Prorrogada as dívidas de produtores afetados pela seca

PARTILHAR
Foto Divulgação.

Secretaria de Agricultura do estado divulgou ainda linhas de crédito para custeio e capital de giro para pequenos produtores, empreendimentos rurais e outros; confira!

A Secretaria de Agricultura de Santa Catarina anunciou a prorrogação do prazo de vencimento das parcelas de financiamentos contraídos junto ao Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR). Segundo o órgão oficial, as parcelas anuais que venceriam em março, abril, maio ou junho poderão ser pagas no dia 3 de agosto de 2020.

No entanto, a secretaria afirma que os contratos com vencimento após 30 de junho de 2020 não serão prorrogados, assim como aqueles produtores inadimplentes com o fundo de desenvolvimento por 90 dias ou mais.

A medida tem como objetivo minimizar as perdas com a estiagem no estado. De acordo com o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa), Santa Catarina já acumula prejuízos que passam de R$ 436 milhões com a falta de chuvas, principalmente na produção de grãos, fruticultura e bovinocultura de leite.

“Temos novos programas que devem apoiar os produtores nesse momento, com incentivo para comercialização e para investimentos na produção. Serão mais de R$ 6,5 milhões destinados para apoiar os agricultores, além dos programas tradicionais da secretaria que seguem em funcionamento”, disse o secretário da Agricultura, Ricardo de Gouvêa. Segundo o órgão, esses R$ 6,5 milhões seriam transformados em crédito e subvenção aos juros para manter a competitividade no meio rural.

Crédito rural para custeio ou capital de giro

A secretaria informa que está disponível financiamento de custeio ou capital de giro de agricultores familiares e pescadores, que transformam sua produção e comercializam utilizando a Nota de Produtor Rural. A estimativa é que os investimentos cheguem a R$ 1,5 milhão em todo o estado. 

O projeto prevê financiamentos via Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) de até R$ 30 mil, com cinco anos de prazo para pagamento sem juros. 

Empreendimentos rurais com CNPJ

Para empreendimentos rurais com CNPJ, a secretaria prevê investimento de R$ 1,5 milhão, via Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), para subvenção aos juros de financiamentos adquiridos por agricultores e pescadores, com até 2,5% ao ano. 

“Os financiamentos seguirão as regras de contrato feito com o agente bancário, num limite de R$ 100 mil”, disse a secretaria. 

Crédito para construção de poços artesianos 

Através do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR), serão disponibilizados R$ 1,5 milhão em financiamentos sem juros para captação e uso da água.

 O financiamento via FDR tem o limite de R$ 25 mil por produtor, com cinco anos para pagar e sem juros. “Essa é uma linha já existente e que será reforçada ao longo de 2020”. 

Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar 

A pasta destinará R$ 2 milhões para apoiar a agricultura familiar em Santa Catarina através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), metade desse valor será voltado para compra de leite e derivados. 

Os recursos do Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR) serão repassados aos municípios através de convênio, num limite de R$ 30 mil para aquisição de alimentos da agricultura familiar, no âmbito do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na modalidade de compra institucional.

 A prioridade serão os municípios que apresentarem Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo de 0,7; estejam organizados em seus conselhos e a economia esteja baseada no agronegócio. 

Os alimentos adquiridos deverão ser destinados à famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional, preferencialmente aquelas inscritas no Cadastro Único. 

Alimentação escolar

A Secretaria da Educação assinou 61 contratos com 42 cooperativas de agricultura familiar para utilizar integralmente o valor do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e as estimativas são de que em torno de 350 mil alunos sejam atendidos com os kits de alimentação. 

A expectativa é que a aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar irá injetar, mensalmente, R$ 5,9 milhões na economia de Santa Catarina. O valor provém do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), repassado do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e da Secretaria de Estado da Educação. 

Mais informações

Os produtores rurais interessados em participar os programas devem entrar em contato com o escritório municipal da Epagri ou através do aplicativo EpagriMob.

Fonte: Epagri e Canal Rural

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com