Obrigado por se cadastrar nas Push Notifications!

Quais os assuntos do seu interesse?

Proteína Animal é o segmento mais relevante

Em termos de faturamento, o setor de Proteína Animal é o mais relevante. Do total de receitas de 2021, a atividade representou R$ 520,3 bilhões, ou 37,8%.

Os números da quarta edição do anuário Forbes Agro100 mostram que o desempenho do setor segue pujante. As 100 companhias listadas faturaram um total de R$ 1,38 trilhão em 2021, um crescimento de 34,6% em relação ao R$ 1,02 trilhão de 2020. Considerando-se uma inflação de 10,06% em 2021, o crescimento real do faturamento foi de 22,3%.

Nesta edição, as 100 empresas do agronegócio foram divididas em sete setores. Em ordem alfabética: Agroenergia, Agroquímica e Insumos, Alimentos e Bebidas, Cooperativas, Madeira, Celulose e Papel, Proteína Animal e Tradings e Comércio.

O setor de Agroenergia inclui os produtores de etanol e considera os esforços crescentes desses empresários para utilizar os subprodutos e rejeitos, como o bagaço da cana-de-açúcar, para gerar eletricidade. Os programas de cogeração têm ganho importância no faturamento das usinas.

O setor de Agroquímica e Insumos inclui tanto os produtores de fertilizantes e sementes, como também as empresas de máquinas e equipamentos. Os setores de Alimentos e Bebidas, Cooperativas e Madeira, Celulose e Papel são autoexplicativos, assim como Tradings e Comércio.

Proteína animal inclui as empresas cuja maior parte do faturamento vem da criação e abate de animais e aves. Com o crescimento da verticalização e o avanço dessas companhias nos mercados de alimentos processados, o setor apresenta uma coincidência estatística com o segmento de Alimentos e Bebidas.

Optou-se aqui por considerar como empresas de Proteína Animal aquelas cuja maior parte do faturamento vem dessa atividade.

Faturamento

Em termos de faturamento, o setor de Proteína Animal é o mais relevante. Do total de receitas de 2021, essa atividade representou R$ 520,3 bilhões, ou 37,8%. Por seu tamanho, o crescimento do faturamento foi o menor em termos estatísticos, 28,9%. Mesmo assim, o crescimento real foi de 17,1%, bastante acima da média da economia brasileira.

Em segundo lugar vem o setor de Alimentos e Bebidas, com um faturamento de R$ 270,4 bilhões ou 19,6% do total. Em 2021, as receitas cresceram 36,4%. Os setores menores em termos de faturamento apresentaram crescimento mais rápido. Pela ordem, Agroquímica e Insumos, com 49,2%, e Tradings e Comércio, com 47,5%.

Fonte: Forbes

Quer ficar por dentro do agronegócio brasileiro e receber as principais notícias do setor em primeira mão? Para isso é só entrar em nosso grupo do WhatsApp (clique aqui) ou Telegram (clique aqui). Você também pode assinar nosso feed pelo Google Notícias

Não é permitida a cópia integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é autorizada apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime de acordo com a Lei 9610/98.

Siga o Compre Rural no Google News e acompanhe nossos destaques.
LEIA TAMBÉM