Qualificação e gestão mudam vida de produtores em Santa Catarina

PARTILHAR
Marcos, Marisete, Ilse Barp e Gelain Normelio Barp.

Família evolui na pecuária leiteira com auxílio do projeto; “Aprendemos a ter visão sobre a propriedade, de manter o lugar bonito e organizado e a importância do controle de caixa”

Aprimoramento da gestão empresarial, organização da propriedade, aumento da produtividade, incremento de renda e ganho do tempo em família. Esses são alguns dos impactos positivos do projeto “Encadeamento Produtivo Cooperativa Aurora Alimentos: Suínos, Aves e Leite” na propriedade rural do casal Marcos Appelt e Marisete Barp Appelt, da linha Canela Gaúcha, em São Miguel do Oeste, no extremo oeste catarinense.

O casal atua na bovinocultura leiteira há 20 anos e participou dos programas De Olho na Qualidade, do Gestão da Qualidade Rural, do Times de Excelência e o mais recente, em 2020, foi a certificação de propriedade rural sustentável. A família também investiu na compra de bezerras com melhor genética, na inseminação artificial, no aumento da produtividade e na melhoria das estruturas.

Marcos enfatiza que, com os cursos, foram aprimorando os processos e visualizaram que tinham potencial para prosseguir na atividade.

Marisete explica que com o projeto começaram a aprender cada vez mais sobre a atividade e com isso os resultados apareceram. “O novo é assustador, mas te desafia a sair do comodismo. Desde o início tentamos fazer o melhor. Era tudo muito simples, mas com o aumento do rendimento realizamos as melhorias como a sala de ordenha, o galpão para o maquinário e as bezerreiras. Aprendemos sobre organização humana, estrutura da propriedade e onde investir”, expõe a empresária.

Marisete explica que com o projeto começaram a aprender cada vez mais sobre a atividade.

Marcos enfatiza que, com os cursos, foram aprimorando os processos e visualizaram que tinham potencial para prosseguir na atividade. “Aprendemos a ter visão sobre a propriedade, de manter o lugar bonito e organizado e a importância do controle de caixa. Atualmente temos a ordenha canalizada e todos os animais vacinados. Temos satisfação em trabalhar nessa atividade que tanto gostamos. A organização faz bastante diferença, basta apenas se habituar e isso melhora o tempo em família”, argumenta Marcos.

Com o aumento do rendimento realizamos as melhorias como a sala de ordenha, o galpão para o maquinário e as bezerreiras
Com o aumento do rendimento realizamos as melhorias como a sala de ordenha, o galpão para o maquinário e as bezerreiras

Atualmente Marisete e Marcos trabalham pensando no futuro e em melhorar ainda mais os processos para terem mais qualidade de vida. A propriedade da família tem 20,7 hectares onde criam 28 vacas em lactação que produzem em média 23 litros/vaca/dia no método de semiconfinamento. O plantel total é de 48 animais. Toda a produção é entregue para a Cooperalfa, que coleta o leite diariamente. “Os resultados que conquistamos nos dão força para prosseguir, pois vemos a propriedade estruturada, construímos nossa casa e podemos muito mais. Com a família unida vamos mais longe”, antecipa Marcos.

O plantel total é de 48 animais.

ENCADEAMENTO PRODUTIVO

De acordo com o gerente regional do Sebrae/SC no oeste e no extremo oeste, Udo Martin Trennepohl, o projeto primeiramente faz o resgate da autoestima de quem atua no campo e depois incentiva-os a trabalharem na busca de uma remuneração melhor. “Esperamos que eles gostem de viver onde trabalham e com isso a execução das atividades fica mais fácil, podem focar na gestão, na produtividade e em projetos de curto, médio e longo prazo”, expõe ao comentar que o projeto fez diferença na região e contribuiu para o aumento significativo de empreendedores rurais.

Trennepohl reforça que as cooperativas têm papel fundamental nesse processo ao convidar os produtores a participarem das capacitações, enquanto que o Sebrae ingressa com a metodologia, a transferência de conhecimentos e o apoio para aplicação nas propriedades. “Ajudamos a promover todas essas etapas, a identificar quais são as atividades que dão resultado e a aperfeiçoar a propriedade. Até o momento o projeto atendeu mais de 17 mil famílias e mais de 12 mil empresas, disseminando a cultura da organização e para torná-las viáveis e sustentáveis”, destaca.

A propriedade da família tem 20,7 hectares onde criam 28 vacas em lactação.

O presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Neivor Conton, reforça que o projeto junto as cooperativas filiadas tem uma história de mais de duas décadas beneficiando mais de 30 mil famílias. “As atividades de suinocultura, bovinocultura de leite e avicultura são medidas por meio de indicadores e atualmente podemos apreciar a evolução dessas métricas, que são decisivas para que as empresas rurais sejam consideradas competitivas”, realça.

Canton adianta que sempre haverá novos desafios para o agronegócio, porém, a metodologia utilizada continua atual e aplicável nas propriedades rurais. “O Sebrae/SC tem sido um grande parceiro tanto na disponibilidade de recursos quanto na metodologia que é constantemente atualizada, além de nos colocar à disposição consultores qualificados que compreendem as especificidades do campo”, argumenta. Ao ser questionado sobre projeções futuras, o presidente da Aurora Alimentos explica que as atividades do agro sempre precisam buscar inovações, melhores indicadores de produtividade e o atendimento das exigências dos mercados interno e externo. “Pretendemos que essa parceria seja duradoura”, ressalta.

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.