Queda do dólar pode travar exportações de carne?

PARTILHAR
carcacas bovinas da raca angus
Foto: Roberto Barcellos

Segundo pesquisadores do Cepea, a atual diminuição na diferença entre os valores se deve à valorização mais intensa da carne bovina frente à registrada para o boi gordo para abate.

A diferença entre os preços do boi gordo e da carcaça casada bovina está em 9,01 reais/@ neste mês de junho (até o dia 22) – com vantagem do animal –, um pouco abaixo da observada em maio, de 11,67 reais/@. Trata-se, também, da segunda menor diferença deste ano, atrás apenas da registrada em janeiro/21, que foi de 5,27 reais/@.

Segundo pesquisadores do Cepea, a atual diminuição na diferença entre os valores se deve à valorização mais intensa da carne bovina frente à registrada para o boi gordo para abate. E esse cenário é verificado mesmo com o consumo interno por carne bovina enfraquecido – e sem sinais de reação, devido ao baixo poder de compra da maior parte da população brasileira e aos altos patamares de comercialização da proteína.

Neste caso, além da recente desaceleração das vendas de carne bovina à China, a valorização do real frente ao dólar pode estar limitando as exportações brasileiras da proteína, o que, consequentemente, dificulta avanços mais intensos nos preços internos da commodity. 

Com informações do CEPEA

Todo o conteúdo áudio visual do CompreRural está protegido pela legislação brasileira sobre direito autoral, sua reprodução é permitida desde que citado a fonte e com aviso prévio através do e-mail jornalismo@comprerural.com

PARTILHAR
Portal de conteúdo rural, nosso papel sempre será transmitir informação de credibilidade ao produtor rural.